ABB e Siemens participam do maior projeto de ultra alta tensão no mundo

Da redação – 28.07.2016 – 

As duas empresas são fornecedoras da chinesa State Grid em projeto com 3,2 mil km de extensão e que vai operar em 1.110 kV.

Os primeiros transformadores – e outros equipamentos – de 1.100 kV a serem ativados mundialmente serão empregados na linha de transmissão chinesa de 3,2 mil km que formam o elo Changji-Guquan, da State Grid. Segundo a ABB, cujo contrato soma US$ 300 milhões, o trecho permitirá a transmissão de energia da região de Xinjiang, no noroeste do país, até a província de Anhui ao leste da China. O empreendimento também deve estabelecer novos recordes de nível de tensão, capacidade de transmissão e distância: 12.000 megawatts de eletricidade – o equivalente a 12 usinas de energia de grande porte.

O novo trecho também ajudará a ampliar a distância de transmissão de aproximadamente 2 mil km para os 3,2 mil km e desempenhará um papel essencial na integração de energias renováveis remotas em larga escala, transmitindo energia ao longo de distâncias maiores, constituindo assim uma rede mais interconectada. Essa é a avaliação da ABB, cujo contrato soma cerca de US$ 300 milhões. De acordo com a companhia, em relação aos elos de transmissão de 800 kV em operação, o aumento de capacidade de transmissão será de 50%.

“A China possui grandes centros de carga em sua região leste, enquanto uma quantidade significativa de seus recursos energéticos está no oeste e noroeste. A geografia expansiva e aumento da demanda na última década levaram a acumulação de capacidade de ultra-alta tensão para transmitir grandes quantidades de energia por distâncias maiores com o mínimo de perdas”, explica Claudio Facchin, presidente da divisão Power Grids da ABB. De acordo com ele, a tecnologia permite a capacidade de transmissão de energia e distância para um nível sem precedentes, com perdas mínimas de transmissão.

Também fornecedora de transformadores, a Siemens estima que o novo trecho da State Grid entre em operação no final de 2018. A empresa alemã não revelou o total do contrato, mas informa que os transformadores estão sendo fabricados em Nuremberg, Alemanha, em cooperação com a sua fábrica de transformadores HVDC em Guangzhou, China. O escopo de fornecimento também inclui transformadores conversores especiais que podem ser conectados diretamente à rede de 1.050 kV AC da China, uma iniciativa também inédita.

“Com os nossos transformadores e nossa tecnologia, apoiamos uma rede de energia global, chamada Interconexão Energética Global, GEI”, disse Beatrix Natter, CEO da Unidade de Negócios de Transformadores, dentro da Divisão de Energy Management da Siemens. “Desta forma, também estamos ajudando a interligar as redes trifásicas de ultra alta tensão e redes DC de ultra alta tensão globais no nível de 1.050 kV DC e 1.100 kV AC.”

A State Grid é considerada dona da maior infraestrutura de transmissão em nível mundial e, no Brasil, possui cerca de 6 mil km de redes de transmissão. A empresa também negocia – com a Camargo Correa – a participação de 23,6% na CPFL. Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, em reportagem recente, a State Grid teria uma carteira de R$ 15 bilhões somente para investimentos em projetos de infraestrutura no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *