Ao alto e avante, obra em indústria farmacêutica usa guindastes de grande porte

Da Redação – 11.02.2016 –

Uso dos equipamentos em situações adversas, como espaço estreito, permitiu cumprimento de cronograma e de orçamento nessa operação em Porto Rico.

Com o desafio de construir sobre instalações da fábrica, composta por longos galpões, e de operacionalizar em trechos estreitos, a distribuidora de equipamentos pesados Forteza Equipo foi arrojada e indicou o uso de quatro guindastes de médio a grande porte para operar em Vega Baja, Porto Rico. Três deles, do tipo todo terreno (AT, da sigla em inglês all terrain), receberam lanças de 80 metros e tinham capacidades de içamento que iam de 100 a 350 toneladas. O outro, para terrenos acidentados (RT ou rough terrain), foi usado para tarefas menores.

Segundo Luis Forteza, presidente da Forteza, a obra exigia a instalação de uma série de tubos ao redor da planta para garantir a disposição adequada com o mínimo de interrupção na produção da fábrica. “Por isso, tivemos de operar em espaços tão estreitos que até a configuração dos guindastes e a preparação do solo foram mais exigentes que o normal”, lembra ele.

O modelo RT, por exemplo, foi utilizado para adicionar extensões de lança aos equipamentos AT, o que teve de ser feito sobre máquinas em operação e sistemas de tubos que não podiam ser danificados. Os modelos maiores (AT) foram equipados com contrapesos de 70 t e 100 t, com extensões de lanças de 22 m e 43 m, respectivamente.

De acordo com o presidente da Forteza, todos os içamentos foram feitos em até 70% da capacidade total dos guindastes, para assegurar a operação. Ele também afirma que o projeto foi concluído dentro do cronograma e orçamento estipulados e os equipamentos em questão, fabricados pela Manitowoc, atenderam às expectativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *