Artigo: Como o uso de microcabos pode revolucionar o espaço urbano

Por Luiz Felipe Lorenzoni – 04.02.2016 – 

Ao andarmos pelas ruas das cidades brasileiras é difícil não notarmos a situação dos postes de energia elétrica, cada vez mais saturados, repletos de um emaranhado de fios que colaboram para a poluição visual dos espaços urbanos. E não é impossível, tampouco, encontrar postes com fios soltos, com ligações irregulares que chegam a oferecer risco para pedestres e para a população local.

Em algumas regiões, entretanto, a paisagem é um pouco diferente. Em locais com cabos enterrados, os postes, em sua maioria, servem como suportes para lâmpadas e são, inclusive, parte de movimentos artísticos locais. Os fios e cabos que transmitem eletricidade, voz e dados, e tantas informações fundamentais para o mundo atual, nesses locais estão ocultos. Um exemplo é a famosa Avenida Paulista, mas em muitas outras cidades do Brasil podemos ver regiões como esta.

Por que não trocar os fios aéreos por cabos subterrâneos também por todas as ruas de todas as cidades do Brasil?

Os custos para obras de instalação de um cabo de fibra óptica convencional são muito altos. Mas esse desafio vem sendo superado com a tecnologia de microcabos de fibra óptica, que surge como uma alternativa inovadora aos cabos ópticos tradicionais, e prometem ser uma opção atraente para o mercado.

Os microcabos tem um núcleo compactado, com a mesma quantidade de fibras, porém com dimensões menores, que simplificam a implantação subterrânea e permitem eventualmente a otimização da infraestrutura de fiação aérea já existente.

Uma das grandes vantagens do uso de microcabos consiste em ser uma alternativa prática e mais sustentável. A construção de redes subterrâneas para implantação é mais simples, causa menos impactos para as cidades tanto em infraestrutura de obras quanto no visual. Cortes de apenas 30 cm de profundidade por 3 cm de largura são suficientes para acomodar um microduto por onde passa um microcabo, tornando a recuperação do pavimento mais rápida e simplificada. As obras para implantação desse tipo de cabo são realizadas em menos tempo e com menores custos de operação.

Essa tecnologia garante, também, melhor aproveitamento do espaço para a criação de uma infraestrutura com capacidade de atender um maior número de operadores de telecomunicação, e de expandir as redes de acordo com as futuras necessidades das cidades sem precisar obstruir vias públicas, atrapalhar o fluxo de pessoas ou aumentar a demanda por cabos aéreos.

Se o assunto é a situação dos postes, a tarefa de melhorar o visual das cidades para torná-las mais atraentes se torna cada vez mais possível. E, nesse caso, os microcabos são um grande exemplo de como podemos e devemos usar a inovação e a tecnologia a nosso favor.

Falta pouco para tornar essa tecnologia uma realidade. Embora já seja utilizado em outras regiões do mundo, no Brasil a tecnologia ainda não é homologada. Um grupo de empresas incluindo fabricantes, operadoras, instaladores e suas associações vem trabalhando para definir os parâmetros para esta homologação. Após aprovados pelos órgãos regulamentadores, os microcabos de fibra óptica poderão ser uma opção a mais no portfólio das empresas. Ganham todos, principalmente o visual de nossas cidades.

* Luiz Felipe Lorenzoni é Especialista Sênior em Planejamento de Plantas Externas da Level 3 Communications, Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *