Bairro planejado no Rio, Ilha Pura, adota tecnologias de construção de ponta

Da Redação – 14 de janeiro de 2015

Uma central de concreto fabricada pela RCO está entre os destaques desse canteiro de obras, onde flexibilidade de movimentação e tecnologia embarcada são condições sine qua non

 

Case_IlhaPura_FVD_14D4200 (640x427)Idealizado pela Carvalho Hosken e a Odebrecht Realizações Imobiliárias, a Ilha Pura é um bairro planejado, localizado na região da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Com um terreno de mais de 800 mil metros quadrados, o empreendimento começou a ser construído em junho de 2012 e reúne edifícios de alto padrão com diversas plantas, grandes afastamentos entre os edifícios para privilegiar as vistas e a ventilação. Outro aspecto do projeto é a independência de cada condomínio, que terá sua área de lazer própria e fachadas diferenciadas, potencializando a identidade individual. Apesar disso, a integração faz parte da Ilha Pura em dois aspectos: com a natureza e entre os vários condomínios.

No primeiro caso, o ícone do bairro será um parque linear de 72 mil metros quadrados, o que equivale à dimensão de dez campos de futebol do tamanho do Maracanã. O projeto de paisagismo é assinado pelo escritório Burle Marx. Além disso, a maior parte das mudas do parque é cultivada num viveiro próprio, com mais de 30 mil mudas de 163 espécies nativas. Já em termos de integração, o planejamento urbano da Ilha Pura prevê a interligação de espaços residenciais e comerciais, acompanhados por lazer e serviços no mesmo local. As áreas de caminhada e ciclovias, por sua vez, terão grandes espaços sombreados, o que permitirá ao morador do bairro caminhar ou ir de bicicleta até a Praia da Reserva, entre outros destinos. Os mais de quatro quilômetros de ciclovias do bairro irão conectar todos os condomínios às áreas de serviços, lazer, trabalho e à ciclovia da Avenida Salvador Allende, que atualmente está em fase de construção.

O perfil de sustentabilidade do projeto também se estende à fase de construção e o canteiro de obras apresenta várias iniciativas, sendo uma delas a adoção de uma central dosadora de concreto da RCO. De acordo com Maurício Cruz Lopes, Diretor Geral da Ilha Pura, a Nomad D-40 foi adotada por ser a opção economicamente viável para a Ilha Pura, que precisava de um terceiro ponto de carga para o carregamento das argamassas necessárias na execução das obras. “Nossa decisão foi pautada pela rapidez na entrega, a facilidade de montagem do equipamento e as condições comerciais”, explica Lopes. De acordo com ele, a flexibilidade do equipamento para a mudança do local de instalação, algo que seria necessária no decorrer das obras, também pesou na escolha.

Tecnologicamente, o fato de ter silos horizontais para o estoque de cimento evitou os custos elevados de instalação de sistemas verticais. “O sistema de automação de primeira linha e de alta confiabilidade é outro diferencial”, explica Lopes. “A eletrônica embarcada registra os traços de concreto efetivamente pesados, facilitando o rastreamento das entregas. Além de facilidade de operação e de manutenção”, completa. Lopes lembra ainda que a implantação do equipamento não apresentou nenhum desafio que mereça destaque, em virtude da experiência dos profissionais envolvidos no processo (Ilha Pura e RCO).

“A equipe deu todo o apoio na movimentação, transporte e instalação do equipamento e acompanhou os primeiros dias de funcionamento para treinamento dos operadores”, detalha. As dúvidas de manutenção e operação também foram discutidas nesse período de entrega técnica, assim como o apoio na etapa de movimentação do equipamento de uma área a outra dentro do terreno do empreendimento.

Para Leonardo Cavalcante, executivo da área comercial da RCO, a contratação do projeto Ilha Pura é um destaque em função da magnitude do empreendimento. “Trata-se de uma iniciativa de grande visibilidade nacional e reforça nossa interação com duas empresas extremamente respeitadas da área de construção civil”, explica. De acordo com ele, o contrato envolveu o transporte e a montagem do equipamento. O consórcio Ilha Pura, por sua vez, cuidou das atividades de infraestrutura para abastecimento da central.

Tecnicamente falando, a central NOMAD adotada na obra foi a mais completa até então fornecida pela RCO. Com dois silos horizontais, o conjunto de soluções adotou uma balança para a dosagem de água, em vez do hidrômetro. “A balança de água, desenvolvida inicialmente para a Ilha Pura, foi adotada posteriormente como equipamento padrão na central de concreto”, detalha Leonardo.

Outro diferencial para o Ilha Pura aconteceu na rampa de agregados, que é um acessório fornecido pela RCO constituído de paredes metálicas, item que contribuiu para agilizar o processo de ativação da central, dispensando as obras de alvenaria. A NOMAD instalada possui ainda três balanças de aditivos, quando o padrão em obras é a utilização de apenas uma ou, no máximo, duas. “É uma central completa com software de automação, que garante qualidade, precisão, confiabilidade e rastreabilidade das informações”, finaliza Leonardo.

Sustentabilidade define o perfil da Ilha Pura
Um dos pilares de desenvolvimento da Ilha Pura é a sustentabilidade, implantada desde a instalação do canteiro de obras até o final da construção do bairro planejado. As iniciativas aplicadas contemplam o recrutamento e capacitação prioritários da mão de obra do entorno, implantação de centrais de concreto, redução na geração e reuso dos resíduos, redução do impacto na utilização de recursos hídricos e energéticos e redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE).

Além das práticas sustentáveis na construção do bairro, este pilar se fortifica no legado que as estruturas do parque e dos condomínios implantarão para o viver sustentável dos futuros moradores, ações que farão parte do dia a dia do morador de Ilha Pura: reuso de águas cinzas, iluminação eficiente, aquecimento solar, painel fotovoltaico, telhados verdes, medidor da qualidade do ar, recarregamento de veículos elétricos, economizadores de água e energia, paisagismo com espécies nativas, bicicletários, ciclovias e integração com linha e ônibus de ônibus de transporte rápido (BRTs).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *