Banco de Desenvolvimento CAF mostra que há dinheiro para infraestrutura

Por Nelson Valêncio – 23.10.2015 – 

Instituição tem patrimônio de quase US$ 11 bilhões e atende vários países da América Latina. Projetos brasileiros respondem por 8% da carteira atual. 

Além da feira internacional que, pela primeira vez, acontece fora dos Estados Unidos, a Conexpo Latin America também sincronizou-se com outros eventos importantes no Chile e um deles foi o Congreso Interamericano de la Industria de la Construccion. Realizado ontem, o evento reuniu especialistas como o ex-ministro da fazendo chileno Eduardo Aninat e o vice-presidente de Infraestrutura do banco de desenvolvimento CAF. O encontro foi encerrado pelo atual ministro de Obras Públicas do Chile, Alberto Undugarra.

Para Aninat, é necessário que os setores públicos e privados unam esforços para que os projetos de infraestrutura avancem na América Latina. “Um cenário virtuoso integra a capacidade dos dois entes, incluindo a da iniciativa privada em identificar rapidamente as demandas reais”, explicou. Sobre o Chile, em especial, Aninat avalia que os projetos de infraestrutura são decididos muito em função da centralização na Região Metropolitana da capital. Para o ex-ministro, a Argentina, onde a federalização seria mais efetiva, permite que o fator regional seja mais levado em conta na definição de projetos de infraestrutura.

Sosa, do CAF, fez um balanço da instituição que nasceu como um banco de desenvolvimento da região andina e que expandiu sua atuação para toda a região. Em 1990, a instituição tinha cinco países membros e hoje já engloba 15, inclusive a Espanha para quem o CAF fez empréstimos recentemente quando o país europeu entrou em crise. A Argentina foi outro caso inovador: há alguns anos, a nação vizinha entrou com pedidos de financiamento para a renovação de usinas nucleares.

“Não tínhamos uma experiência desse tipo e a Argentina não era grande credora do CAF, mas o processo avançou e tem sido bem sucedido, tanto que os argentinos estão entre os principais beneficiados pelos investimentos do banco”, detalha Sosa. De acordo com o executivo, 60% dos investimentos do banco estão concentrados em projetos de infraestrutura. Hoje, a instituição tem um patrimônio entre US$ 11 bilhões e US$ 12 bilhões, o qual deve atingir US$ 12 bilhões em 2017. O Brasil representa 8% da carteira de projetos do CAF, metade, por exemplo, da vizinha Argentina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *