Big data turbina ações de polícia inglesa

policia-inglesaDa Redação – 12.11.2017 –

Uma das maiores forças policiais do Reino Unido, a tem, aproximadamente, 6 mil funcionários, incluindo 2.800 policiais. O mandato da polícia cobre desde espaços urbanos, como a cidade de Bristol, até áreas rurais, como o Somerset Moors. Recentemente, ela implementou a plataforma Qlik Sense para melhorar a visualização de seu centro operacional de comando de dados e obter novos insights sobre a disponibilidade, objetivos, e localização dos policias em comparação à demanda pública.

Os dados são acessados por meio de 12 aplicações utilizadas por toda a força tarefa – desde a equipe do centro de comando até delegados e comandantes. As visões são distribuídas em telas pelo centro de com Avon and Somerset Constabularyando, fornecendo aos funcionários dados precisos e detalhados sobre os trabalhos dos quais participam.

“A Qlik transforma nossos insights e melhora nossa produtividade, eficiência e efetividade. A plataforma nos ajuda a democratizar a percepção desde o conselho até os policiais da linha de frente. O Qlik Sense é constantemente utilizado na sala de controle, pelas equipes de gerenciamento e pelos policiais. Conseguimos fazer tanto em tão pouco tempo, e ainda assim sentimos que só arranhamos a superfície do potencial do Qlik Sense”, conta Sean Price, head de performance da Avon and Somerset Constabulary.

Com os dados de fácil visualização, é mais simples para a polícia combater infrações. O uso vai desde o mapeamento da localização de policiais para enviar as viaturas mais próximas ao local da demanda até o uso de dados prévios para realocar agentes em regiões onde os crimes são mais comuns.

As aplicações são atualizadas a cada vinte minutos, o que permite ao sargento delegar tarefas e checar se elas foram atendidas dentro de seu próprio turno.

Neil Frost, Sargento Detetive da delegacia, diz que a tecnologia permitiu conectar todos os sistemas já existentes e coordenar as equipes com mais eficiência. “O acesso ininterrupto a análises de dados visuais nos ajuda a reconhecer situações de alto risco. Por exemplo, quando surge o nome de um suspeito, informante ou vítima, nós temos uma boa visão da situação e podemos identificar os riscos para compartilhar com os policiais que atenderão a ocorrência”, explica. “Isso nos ajuda a reconhecer vulnerabilidades, motivos de alerta e qualquer outra informação vital que os policias em ação podem precisar para fazer seu trabalho de forma efetiva e segura. Além disso, a Qlik nos ajudou a economizar tempo, ao reduzir em até dois minutos cada ligação recebida – isso permite focar totalmente na resolução dos casos”, completa.

Entre as aplicações do sistema estão os relatórios de gerenciamento de crimes, com visualização das cargas de trabalho, recursos e performance policial. Está também o gerenciamento de locação, que mostra quantas vezes um policial atendeu a uma ocorrência ou a um local, e o gerenciamento de infratores, que usa um modelo preditivo e de caracterização do suspeito para evitar casos antes mesmo de eles acontecerem.

O Qlik Sense também atua para identificar e lidar com os 30 principais criminosos de risco da delegacia, o que leva a um bom número de queixas sendo resolvidas rapidamente.

Para Simon Blunn, diretor geral da Qlik no Reino Unido, a maneira como a Avon and Somerset Constabulary tem visualizado seus dados para não apenas reduzir, mas também prevenir infrações, tem configurado um padrão para outras delegacias do Reino Unido. “De todo o mercado, talvez seja possível encontrar na polícia um dos principais usos da análise de dados, pois garante que os agentes estejam no lugar certo e na hora certa para impedir certos incidentes”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *