Brasil lidera crescimento de energia eólica na América Latina segundo estudo

Redação – 17.03.2021 

Dados são da GWEC Market Intelligence, que aponta 2020 como melhor ano para o setor na região

A instalação de energia eólica experimentou um ano recorde na América do Norte e na América Latina em 2020, apesar dos impactos da Covid-19. A instalação de energia eólica adicionou quase 22 GW de nova capacidade nas Américas – ou 62% a mais de capacidade em comparação com o ano anterior. Os dados são da GWEC Market Intelligence, cujo relatório completo sobre o desempenho da energia eólica no mundo será divulgado em 25/03.

Os Estados Unidos impulsionaram um crescimento recorde na América do Norte instalando quase 17 GW de nova capacidade em 2020, com mais capacidade instalada no quarto trimestre de 2020 do que foi instalada durante todo o ano de 2019. O crescimento do último ano foi de 85%.

Já o Brasil continua a liderar o crescimento da energia eólica na América Latina com a adição de 2,3 GW de nova capacidade em 2020. Houve ainda instalações recordes na Argentina (1 GW) e no Chile (684 MW) contribuindo com o melhor ano para o vento na região. O resultado poderia ter sido melhor, já que o desenvolvimento da energia eólica no México, um dos maiores mercados latino-americanos, diminuiu 55% devido a vários desafios políticos para o setor.

“A América Latina foi uma das regiões mais atingidas pela crise econômica da Covid-19, e o fato de ter sido um ano recorde para a energia eólica apesar desses impactos é um verdadeiro testemunho da resiliência dessa indústria e de seu papel de liderança na recuperação verde”, afirma Ramón Fiestas, líder da força-tarefa do GWEC na América Latina.

De acordo com a GWEC Market Intelligence, a capacidade total de energia eólica na América do Norte e América Latina é de 136 GW e 34 GW respectivamente, o que ajuda a evitar 250 milhões de toneladas de emissões de CO2 por ano, o equivalente a retirar 1,2 bilhões de carros de passageiros das estradas.

Feng Zhao, Chefe de Inteligência de Mercado e Estratégia do GWEC, destacou durante o evento que o crescimento da indústria em 2020 foi realmente impressionante considerando os impactos da Covid-19 na cadeia de fornecimento. “A energia eólica é também um importante motor de empregos e investimentos nos Estados Unidos. E um pilar crucial do plano da administração Biden para reconstruir uma economia melhor”, enfatiza.

“A comercialização de energia eólica na América Latina cresceu dezesseis vezes durante a última década e é a fonte de energia que mais aumenta na região”, destaca Fiestas. Para ele, o desafio agora é manter esse ritmo de crescimento estável para garantir a descarbonização do sistema elétrico e dar mais segurança energética aos países.

“Isso poderia proteger esses países contra futuros choques econômicos com origem na volatilidade dos combustíveis fósseis, além de gerar empregos e prevenir desastres ambientais, que estão se tornando cada vez mais frequentes na região”, afirma Fiestas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *