“Brasil não recuperará sua economia sem o ajuste fiscal e sem atacar problemas estruturais”

Da Sobratema – 06.11.2015 – 

Afirmação é do ministro Maílson da Nóbrega, que participa do evento Tendências no Mercado de Construção, marcado para dia 11 de novembro em São Paulo.

O ex-Ministro da Fazenda, o economista Maílson da Nóbrega, confirmou sua participação no evento estratégico Tendências no Mercado da Construção, que será promovido na próxima semana, dia 11 de novembro, em São Paulo. O evento é uma iniciativa da Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração.

Para ele, os desafios enfrentados pela economia nacional devem continuar no próximo ano e a situação pode ficar pior, caso o governo federal não consiga aprovar as medidas de ajuste fiscal. “Isso provocaria novos rebaixamentos da classificação de risco do país e novas quedas de confiança e de investimento, reduzindo ainda mais a atividade econômica”, explica.

A expectativa para este ano é de uma recessão, com queda de cerca de 3% do Produto Interno Bruto (PIB). Para 2016, Nóbrega estima que o percentual de retração seja menor, de aproximadamente 1%. “Neste momento, não há como sair da recessão. Ela foi determinada por eventos anteriores, particularmente pelos erros de política econômica e do intervencionismo do primeiro mandato do governo da presidente Dilma Rousseff”, avalia.

No entanto, Nóbrega analisa que o governo está tentando, com a orientação trazida pelo Ministro da Fazenda Joaquim Levy, criar condições para voltar a crescer em 2016. E, tem acertado em algumas medidas, como por exemplo, o abandono Nova Matriz Macroeconômica do primeiro mandato, a correção de preços administrados nas áreas de combustíveis e energia, o estancamento das transferências do Tesouro ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a revisão das desonerações tributárias e as primeiras medidas estruturais, que incluem a revisão das pensões por morte e das regras do seguro-desemprego.

“Seja como for, o Brasil não recuperará sua economia sem o ajuste fiscal e sem atacar problemas estruturais, que são essenciais para restaurar níveis de produtividade que elevem o potencial de crescimento”, conclui.

O Tendências no Mercado da Construção terá ainda uma apresentação da economista Amaryllis Romano, da Tendências Consultoria Integrada, que fará uma avaliação sobre as perspectivas do mercado da construção, e do consultor Brian Nicholson, que trará informações inéditas sobre o setor de equipamentos para construção, com dados sobre vendas de equipamentos neste ano e expectativas para 2016.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *