Capital concentra gasto de energia em São Paulo

Da Redação – 18.12.2017 –

Governo estadual lança Ranking Paulista de Energia

O documento, divulgado na sexta-feira (15), mapeia o consumo de eletricidade, gás natural, gás comprimido, etanol e derivados de petróleo em cada uma das cidades do estado. O levantamento, feito pela Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo, é uma ferramenta online que cobre a situação de 645 municípios paulistas. De acordo com o Ranking, a capital é a maior consumidora de todos os modais de energia, tendo como base os dados dos últimos cinco anos.

De acordo com a ferramenta, excluindo-se o gás comprimido que é utilizado em apenas  quatro  municípios,  a  cidade  de  São Paulo lidera em 2016 o ranking  como  a  principal  consumidora  de  todos os tipos de energia no estado.  Já a vice-liderança das quatro fontes de energia é ocupada por municípios diferentes. Na energia elétrica o segundo lugar é ocupado pela cidade de Alumínio. Já o consumo de gás natural tem como segundo lugar a cidade de Santo André, no etanol está Campinas e nos derivados de petróleo consta Guarulhos.

Os dados são atualizados anualmente pela Secretaria de Energia e Mineração no mês de setembro. O Ranking Paulista de Energia pode ser acessado na aba Dados Energéticos no menu do site da Secretaria. Diferentemente do Anuário divulgado pela pasta que apresenta o consumo dos municípios  apenas  em  tonelada  de óleo equivalente (toe), no ranking os  dados  de  eletricidade  são  apresentados  em  megawatt-hora (MWh), o gás natural  e o gás comprimido em metros cúbicos (m³), o etanol em litros (l) e os derivados de petróleo em toe.

O Ranking Paulista de Energia mostra também na unidade toe o total de energéticos consumidos no Estado somando energia elétrica, gás e derivados de petróleo. A participação  das  cidades  no consumo total do estado é apresentada em porcentagem na última coluna do ranking.

“Essa ferramenta facilita o trabalho das prefeituras no desenvolvimento do seu planejamento energético e ambiental e também da iniciativa privada na realização  de  projetos que tenham a energia como insumo fundamental para seu desenvolvimento”,  explica  o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *