Cento-Oeste lidera ranking de energia renovável

Da Redação – 29.11.2016 –

Matriz energética da região aponta uma participação de 58% de fontes renováveis no total de energia gerada, com forte participação do setor sucroalcooleiro.

Um estudo do Ministério de Minas e Energia aponta a região Centro-Oeste como a detentora da maior participação de fontes renováveis em sua matriz energética, com um total de 58% da produção. Segundo o documento “Matrizes Energéticas – Ano de Referência 2015”, da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento do ministério, o setor sucroalcooleiro foi o principal responsável por essa diversidade, respondendo por 33% da matriz energética da região. Em seguida vem a queima de lenha e outras modalidades de bioenergia (15,9%), à frente da geração hidráulica (9%).

A região Sul ocupa o segundo lugar nesse ranking, com uma participação de 40,7% das fontes renováveis, seguida pelo Sudeste (40,5%), Norte (38,7%) e Nordeste (36,5%). Os estados do Sudeste também se destacaram por apresentar um superávit global no comércio externo de energia, que foi de 21% de suas necessidades. As demais regiões registraram déficit comercial, que variou de 24,6%, no Centro-Oeste, a 43,5%, no Nordeste. Em termos de suprimento, o Norte apresentou um superávit de energia elétrica de 85%, seguido pelo Sul (73%) e Centro-Oeste (43%).

Esse desempenho reflete não apenas o menor consumo nessas regiões, mas também as peculiaridades do sistema elétrico brasileiro, cujas principais fontes de geração hidráulica estão concentradas nas regiões Norte (Tucuruí e Complexo do Rio Madeira) e Sul (Itaipu). Já as regiões Sudeste e Nordeste, que figuram como ponta do sistema e concentram grandes centros consumidores de energia, apresentaram déficits de suprimento de 48% e 15%, respectivamente.

O documento reúne informações sobre o setor de energia em todos os estados e regiões brasileiros, apesentando as matrizes de produção primária e de comércio, bem como a oferta interna, a emissão de dióxido de carbono, o consumo per capita e por setor econômico e a participação de fontes renováveis no total produzido, entre outros. Ele está disponível no site do Ministério de Minas e Energia (www.mme.gov.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *