Ciberataques contra IoT batem recorde em 2015

Da redação – 30.09.2016 –

Dispostivos de Internet das Coisas (IoT) sãpo alvo prioritários. Somente no ano passado, oito novas famílias de malwares foram “criadas” para o segmento, de acordo com a Symantec. 

A Symantec, player no mercado de segurança de rede, divulgou o balanço de uma pesquisa realizada com foco nos dispositivos que compõem a Internet das Coisas (IoT). O resultado aponta que a tecnologia, criada para conectar diferentes aparelhos, é um dos principais alvos dos novos ataques cibernéticos. Para se ter uma ideia, oito novas famílias de malwares foram desenvolvidas para infectar esses dispositivos no ano passado.

De acordo com a empresa, a preferência pelos aparelhos IoT nasce de uma deficiência da indústria: o sistema operacional e a potência de processamento dos dispositivo são limitados e acabam não permitindo a instalação de recursos avançados de segurança. Além disso, a empresa aponta que muitas das ferramentas de segurança não contam com atualizações frequentes e quando contam os usuários não estão aptos a instala-las.

Para evitar os ataques, a Symantec recomenda algumas ações. Entre elas estão a checagem da capacidade de recursos de segurança do dispositivo IoT antes da compra, alteração de credenciais padrões desses aparelhos – trocando-as por senhas fortes e únicas – e desativação de serviços que não são necessários, incluindo o acesso remoto aos dispositivos quando não estão em uso.

A pesquisa mostra também os principais países de origem dos ciberataques. A China ficou com a primeira colocação, detendo 34% das infiltrações, seguida dos Estados Unidos, com 26% e Rússia, com 9%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *