Citelum aumenta em 35% a produtividade na manutenção de iluminação pública

Da redação – 28.07.2016 – 

Resultados foram conseguidos com uso de cesta aérea da Terex em comparação com outro equipamentos convencionais, montados sobre veículo pesado e escadas montadas sobre veículos. Empresa também registrou 52% de redução no uso de combustíveis. 

A divisão da norte-americana que atende as concessionárias de serviços públicos e as empresas que fazem parte desse ecossistema acaba de divulgar as métricas que podem influir no retorno de investimento na área de manutenção. O exemplo se restringe à Citelum, empresa do grupo EDF e focada nessa área. A companhia adotou um cesto aéreo da  linha Skycity, montado sobre picape, e avaliou o desempenho do equipamento em campo. O resultado foi uma média de 35% de incremento da produtividade na execução das ordens de serviço e uma redução média de 52% no consumo de combustível.

As métricas foram obtidas na comparação entre o sistema da Terex – cesto aéreo montado sobre uma picape – com equipamentos de cesto aéreo convencionais, montados sobre veículo pesado e escadas montadas sobre veículos. A avaliação durou um mês. E envolveu as ordens de serviços concluídas. Na avaliação da fabricante, o aumento acontece pela facilidade e agilidade de operação do equipamento. O fato de ser montado em picape também aumentaria a acessibilidade do sistema em locais onde veículos de grande porte não conseguem entrar e o que demandaria o uso de escadas.

O uso de veículo de menor porte também influencia no consumo de combustível, mas há outra característica técnica do Skycity que ajuda na economia: o sistema hidráulico do cesto é acionado por moto bomba elétrica, alimentada por baterias tracionais. O resultado é que a operação dispensa a necessidade de que a picape fique ligada durante os serviços de manutenção. Para a Terex, o diferencial torna ainda a manutenção silenciosa e evita a emissão de gases poluentes.

Tecnicamente, a autonomia do sistema elétrico do cesto aéreo é de 70 minutos de operação contínua. Segundo a Terex, durante a avaliação em campo, o equipamento operava das 7 da manhã às 17 horas e teria mantido o mesmo desempenho. Já o conjunto de baterias que alimenta o sistema elétrico é alimentado durante o deslocamento do veículo até o local de trabalho, mas em caso de necessidade há um plug padrão ABNT para alimentação via tomada. O nível de carga, por sua vez, é monitorado por um medidor localizado na base do sistema elétrico.

Além de iluminação pública, a Citelum também executa serviços de manutenção na infraestrutura de sinalização de trânsito, iluminação artística e serviços urbanos conectados. A empresa existe há 16 anos e a operação brasileira estaria entre as mais importantes nos 12 países onde ela tem atividades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *