Com métodos construtivos racionais, empreiteira quer avançar no mercado de infraestrutura

Da Redação – 25.10.2016 –

O mercado de construção, no contexto atual no qual grandes empreiteiras perderam poder de atuação por questões judiciais, é uma oportunidade para empresas menores. É nisso que acredita também a Inova TS, que pretende aproveitar a sua expertise no uso de métodos construtivos mais racionais para ganhar obras nos setores industrial, hospitalar, de aeroportos e logístico.

“O nosso diferencial está na experiência de adotar o método construtivo mais adequado à cada necessidade, algo que leva em consideração desafios de prazo, custo e escopo”, diz Daniel Bertolucci, diretor de obras da Inova TS. Essa experiência, segundo ele, inclui uso de pré-fabricados de concreto, estruturas de aço, fachadas em vidro, coberturas especiais ou soluções mais tradicionais, como as estruturas moldadas in loco, que ainda são as mais econômicas, na sua visão.

“Temos um sistema de gestão certificado pela Fundação Vanzolini desde 2013 que nos permite trabalhar com agilidade e qualidade mesmo nos projetos mais complexos”, diz ele, pontuando um processo de retrofit num centro educacional em execução em Osasco (SP).

André Mantoan, engenheiro civil da iNOVA TS é quem está à frente desse projeto e diz que o conceito de uso do prédio é totalmente novo. “Antigamente, esse edifício era utilizado pela previdência social como arquivo de papel. Agora será uma escola de ensino médio com aproximadamente 4 mil m² e 20 salas de aula, com infraestrutura moderna e baseada no uso de materiais de alta tecnologia”, diz.

A revitalização é conduzida no interior da edificação, que teve de passar por um processo de demolição interna, onde foram mantidos apenas os pilares, lajes e vigas. Em seguida, o local foi avaliado por um engenheiro calculista, que indicou quais partes de concreto deveriam receber um reforço estrutural para que fossem recuperadas aquelas que estavam deterioradas pelo tempo ou pelo processo de demolição.

Toda a cobertura do prédio foi substituída por uma estrutura metálica com telha termoacústica, um conceito moderno de telhado que permite maior isolamento acústico e proporciona melhor conforto térmico para quem está no ambiente. Houve também aplicação de piso vinílico, com custo reduzido e que oferece benefícios semelhantes aos da telha termoacústica.

Também foram utilizadas nas obras da escola divisórias especiais em marcenaria, forro de gesso, estrutura metálica, caixilhos especiais em alumínio e brises metálicos nas fachadas que ajudam a controlar a entrada de luz na edificação.

A conclusão dessa obra está prevista para o início de dezembro. “Como a estrutura de concreto do prédio foi mantida, foi possível abrir diversas frentes de trabalho independentes, o que viabilizou o prazo de entrega para antes do início das aulas, em 2017”, conclui Mantoan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *