Concreteira mato-grossense mostra como faz bom uso de central dosadora para atender projetos complexos

Da Redação – 30.11.2015 –

Instalado há pouco mais de um ano, equipamento com capacidade de 40 m³ por hora faz parte dos investimentos de expansão da Concretto Engenharia, que já planeja novas aquisições para ampliar os negócios num raio de cobertura maior no Estado do Mato Grosso.

Foto de Divulgação RCO
Foto de Divulgação RCO

Recém-criada, a Concretto Engenharia é especializada na produção de concreto usinado e tem como foco clientes no entorno de Lacerda, cidade mato-grossense onde está sua sede. Esse universo inclui empresas do comércio local e do segmento agropecuário, assim como construtoras da região do Vale do Guaporé. Como se trata de um local onde a demanda por concreto usinado é vem crescendo, a expansão dos negócios é um processo natural para a concreteira, que opera a central dosadora de 40 m³ por hora de capacidade fabricada pela da RCO. O equipamento faz parte do pacote de investimentos recentes da Concretto, aos quais ainda se incluem compras de caminhões betoneiras, carretas silo e basculante e guindauto.

A aquisição da central dosadora foi feita pouco tempo depois da criação da empresa, no segundo semestre de 2014 e, segundo Irineu Carlos Turazzi, diretor e presidente da Concretto Engenharia, o equipamento nunca precisou de reparos, apesar de operar a plena carga há cerca de um ano e meio. “Não tivemos qualquer problema com o equipamento até hoje. A central é robusta e apresenta grande qualidade”, confirma ele.

O executivo explica que adquiriu o equipamento por indicação de funcionários da empresa e que o processo de escolha envolveu a visita à RCO e a outros dois fabricantes de centrais de concreto. “Escolhemos a RCO pelo preço e excelente atendimento na época. Hoje, recomendo o equipamento também pela qualidade comprovada em campo”, diz.

Atualmente, a central dosadora, equipada com um silo e com uma balança de cimento, é utilizada para a produção de concreto usinado, realidade que tende a mudar, pois Turazzi planeja levar o equipamento para projetos maiores, com o objetivo de reduzir custos operacionais em campo. “Vamos montar uma indústria de pavers e blocos de concreto. Nossa intenção é utilizar a CDR-40 para fazer o processo de mistura juntamente com as betoneiras, diminuindo o custo na compra de silos”, afirma.

Mantendo o ritmo de crescimento, a Concretto Engenharia está de olho em projetos maiores e mais distantes de sua base – chegando a atender a até 150 km de distância da sua planta em Lacerda. Nesse caso, ele planeja novas aquisições. “A nossa intenção é adotar centrais móveis para projetos distantes. Os equipamentos da RCO são seguros e eficazes, com um sistema de pós-vendas e assistência técnica excelentes”, avalia Turazzi.

Para a RCO, segundo Natã Sachetto, consultor técnico de vendas, o sucesso dessa parceria está diretamente ligado ao relacionamento criado durante a venda do equipamento. “O atendimento diferenciado, o domínio técnico e a clareza nas informações na negociação foram fundamentais para o fechamento do negócio”, diz. “Reforçamos ainda mais nossa credibilidade com o cliente quando ele visitou nossa estrutura”, completa.

Sachetto diz que a CDR-40 tem baixo custo de manutenção devido à qualidade dos componentes e materiais utilizados na fabricação do equipamento. No caso da Concretto Engenharia, a central dosadora ganhou ainda um dispositivo adicional: o software de automação. “Com o sistema instalado, o processo de fabricação do concreto acontece de maneira mais ágil e eficiente, minimizando a possibilidade de erros na fabricação”, explica. O controle e rastreamento dos processos de fabricação do concreto também são amplificados com a automatização, uma vez que a CDR-40 passa a emitir relatórios de desempenho.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *