Obras para o “linhão” de Belo Monte têm primeira batalha ambiental aprovada

Ibama emite licença prévia; próxima etapa é a apresentação do Projeto Básico Ambiental, para só então ir em busca da licença de instalação.

 

Da Redação – 29.05.2014 –

belo monteA construção da segunda maior linha de transmissão do país – que vai da subestação Xingu (Pará) até a subestação Estreito (Minas Gerais), por  mais de 2 mil Km – recebeu a licença prévia para implantação do primeiro bipolo de corrente contínua. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) emitiu a aprovação na semana passada e o “linhão” de Belo Monte terá seu traçado atravessando 65 municípios nos estados de Pará, Tocantins, Goiás e Minas Gerais.

A obra é considerada uma das mais importantes para o sistema elétrico brasileiro, pois vai escoar a energia gerada na usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, ao maior centro de consumo de energia do país, a região Sudeste.

A instalação da linha é importante também porque marca a primeira vez que se utiliza tecnologia de transmissão em corrente contínua com ultra alta tensão em 800 kV no Brasil. Essa tecnologia proporcionaria menores perdas e, portanto, maior eficiência energética.

Depois da licença prévia do Ibama, o passo seguinte é a apresentação do Projeto Básico Ambiental (PBA), para a obtenção da licença de instalação. Sendo assim, se tudo ocorrer bem, a obra do “linhão” de Belo Monte deve ser concluída em fevereiro de 2018.

A Belo Monte Transmissora de Energia é a concessionária responsável pelo empreendimento e prevê investir cerca de R$ 4,5 bilhões, com participação acionária da Chinesa State Grid 51% e das estatais Furnas 24,5% e Eletronorte 24,5%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *