Consultorias defendem revisão de tarifas de água

Da Redação – 03.08.2017 –

Uma das soluções seria a redução na tributação no regime de Lucro Real

As tarifas de serviços de água e esgoto não refletem os custos reais de operação das concessionárias, entre os quais os pagamentos de energia elétrica e o consumo de produtos químicos para tratamento de água e esgoto. Essa é a avaliação da Associação Paulista de Empresas de Consultoria e Serviços em Saneamento e Meio Ambiente (Apecs). Segundo a entidade, algumas mudanças podem mudar o cenário que afeta várias das empresas que atuam no setor, entre elas a tributação mais justa.

“No regime de Lucro Real, por exemplo, as companhias recolhem 12,7% de tributos, enquanto as indústrias de transformação pagam apenas 6,46%. Precisamos mudar essa fórmula para alavancar projetos em saneamento”, defende Luiz Roberto Gravina Pladevall, presidente da Associação. Segundo ele, distorção das taxas atualmente cobradas acontece em todo o país e a revisão é necessária, porém “deve vir acompanhada da melhoria da gestão das operadoras”.

Além da mudança na tributação, a agenda positiva envolveria a redução dos custos para as famílias de baixa renda e para o setor público. Outra iniciativa é a alteração na discriminação da cobrança, atualmente com valores divididos por água e esgoto. A sugestão é que se crie uma tarifa única. Pladevall também lembra que a revisão da tarifa de água “deve vir acompanhada da melhoria da gestão das operadoras”. Fundada em 1989, a Apecs congrega atualmente cerca de 40 empresas de serviços e consultoria em saneamento básico e meio ambiente com atuação dentro e fora do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *