Cummins lança sala de testes para grupos geradores

Redação – 05.04.2021 –

A subsidiária brasileira da Cummins Power Generation anunciou a inauguração de uma Sala de Testes de Engenharia para validação de novos equipamentos e/ou atualizações de grupos geradores da marca. O espaço, na planta da empresa em Guarulhos (SP), tem uma área de 240 m² e recebeu investimentos de R$ 4 milhões para aquisição de equipamentos e novas instalações prediais.

A Sala de Testes tem espaço de ensaios para controle e área externa e tem capabilidade de ensaios de grupos geradores de até 1.000 kW em temperatura ambiente controlada, que pode chegar até 50ºC. O sistema de insuflamento faz o controle da temperatura e da contra pressão, de até 2 polegadas de água, para verificação do fluxo e vazão de gases.

São 26 testes no total, entre os quais está o teste de potência, vibração linear e torsional de controle, qualidade de energia elétrica, ensaio do sistema de arrefecimento e dos componentes que podem ser submetidos a testes individuais. “Para atender às especificações da Cummins, desenvolvemos uma área externa dedicada à realização de teste de nível de ruído”, afirma Tancredo Neris, supervisor de engenharia de produto da Cummins Power Generation.

Automatizada, a nova Sala de Testes de Engenharia traz ainda infraestrutura completa de segurança, com controle de acesso e de todo o processo por meio da sala de controle, além de câmeras (seis internas e três externas) para visualização da operação. Vale acrescentar que o projeto brasileiro atende ao mesmo padrão de desempenho das demais salas de testes dedicadas da Cummins Power Generation, nos EUA, Índia, Inglaterra e China.  “Mais recursos para validação em ambiente totalmente flexível e dedicado com coleta de dados vão nos proporcionar também mais autonomia para o desenvolvimento de novos produtos”,  diz Caio Cesar Ridigolo, engenheiro de Produto Sênior da Cummins Power Generation Brasil.

Segundo ele, a obtenção de dados deve permitir a realização de avaliações mais minuciosas e os testes também irão variar de acordo com o nível do projeto. “Os ensaios para atualização de um novo equipamento, por exemplo, podem ser tão complexos quanto o desenvolvimento de um novo produto”, reforça o engenheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *