Demanda por gás natural vai subir 47% até 2025, estima EPE

Da Redação 17.06.2015 – 

Indústria e residências devem puxar o consumo, se crescerem na média anual esperada, de 2,4% e 6,7%, respectivamente.

Segundo estimativa da Empresa Brasileira de Pesquisa Energética (EPE), nos próximos dez anos, a demanda por gás natural vai subir 47%, enquanto a oferta máxima – contando com três novos projetos de terminais de regaseificação – aumentará 49%. Essa avaliação faz parte de um estudo sobre oferta e demanda de gás a ser apresentado pelo presidente do órgão, Maurício Tolmasquim, no próximo dia 24, no 16° Seminário sobre Gás Natural, que acontecerá no Rio de Janeiro.

Segundo ele, o aumento da oferta será provocado pela produção do pré-sal mais os novos terminais de gás privados em Sergipe, Pernambuco e Rio Grande do Sul, que estão previstos para 2020. Já o aumento do consumo deve ser puxado pela indústria, com 2,4% de crescimento, e pelas residências, com 6,7%. Na média de todos os setores, o aumento deverá ser de 3,7% até 2025.

Jorge Delmonte, gerente de gás do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), diz que o gás tem relevância estratégica no cenário energético mundial. “No entanto, para que ele ocupe em nosso país o mesmo espaço que vem ganhando no mundo, muitos desafios precisam ser superados por essa indústria que ainda é jovem e possui um potencial enorme de crescimento”, completa.

O evento, promovido pelo IBP, será realizado durante dois dias, no Hotel Windsor Atlântica, em Copacabana, no Rio de Janeiro. Além da oferta de gás, o encontro vai discutir assuntos como geração térmica, novas tecnologias do setor, desafios de infraestrutura, estocagem e distribuição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *