Digitalização toma a cena em indústrias tradicionais

Redação (da Futurecom 2019) – 01.11.2019 –

Empresas de mercados tradicionalmente físicos, como Scania e o Grupo CNH, colocam a digitalização entre os temas centrais de suas estratégias. É o que elas mostraram durante a Futurecom, Fera de tecnologia e digitalização realizada nesta em São Paulo e com cobertura do InfraROI.

Na Scania, o destaque foi para a produção high tech no chão de fábrica, onde 76 robôs de solda atuam por meio de uma interface amigável que lhes confere precisão nos movimentos e maior nível de segurança operacional, além, claro, de maior produtividade. A montadora de caminhões mantém dois desses robôs dedicados à aplicação de laser no processo de solda. Isso é usado na produção de todas as cabines da marca, padronizando a qualidade estrutural tanto na parte geométrica quanto na de estanqueidade.

“Temos acompanhando uma série de iniciativas de investir na Indústria 4.0 no Brasil e é extremamente importante fóruns como estes, que estimulam o debate e contribuem para projetar os rumos que a nossa indústria pode seguir com o uso de novas tecnologias e principalmente como vamos trabalhar com a capacitação de nossos profissionais”, diz Roberta Serra Negra, gerente executiva da Fábrica de Cabinas da Scania.

Segundo ela, a Scania tem adaptado suas fábricas e introduzido características de Indústria 4.0 há algum tempo, com tecnologias como o uso Veículos Autônomos Guiados (AGV’s), Internet da Coisas, apertadeiras inteligentes, rastreabilidade e realidade aumentada.

CNH e a agricultura high tech
Na CNH Industrial – grupo que integra a Case e a New Holland – o destaque de digitalização ficou por conta da tecnologia ConectarAGRO, apresentada em seu estande na Futurecom 2019. A solução, que é de propriedade de sete empresas e deve gerar a formação de uma associação a respeito, segundo a CNH, já conectou mais de 1,6 milhão de hectares agrícolas brasileiros e promete aumentar a produtividade no agronegócio.

“A nossa indústria está experimentando, mundialmente e em um nível cada vez mais acelerado, grandes mudanças, alimentadas por tendências como servitização, digitalização e automação. Estamos comprometidos em fazer com que o agronegócio brasileiro acompanhe essa evolução e a disponibilidade de conectividade rural é fator determinante para isso”, diz Gregory Riordan, diretor de tecnologias digitais da CNH Industrial para a América do Sul.

O trator Puma 140, da Case IH, uma das marcas do segmento agrícola da CNH Industrial, exposto no evento, reflete a conectividade e digitalização da companhia. Ele foi exposto na Futurecom e pode ser adotado por produtores rurais de todos os portes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *