Dispositivo móvel pode reduzir mortes por choque elétrico na construção civil

Redação – 21.08.20200 –

No ano passado, 30 pessoas morreram por choque ou sobrecarga elétrica em canteiros de obras do Brasil, segundo a Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel). E parte delas poderia ter sido evitada com o uso de tecnologia. É o que defende a Reymaster Materiais Elétricos. Ela indica o uso de sistemas de segurança como o disjuntor diferencial residual (DR), que é comum nas redes de comércios e residências e consiste em desligar o circuito elétrico sempre que detectada uma corrente de fuga que possa gerar choque ou sobrecarga.

Ocorre que na fase de obras, as redes elétricas são mais simples e nem sempre há o cuidado da instalação de um DR. Para isso, a Reymaster pensou num sistema mais prático, um DR Móvel. Sim, o dispositivo não precisa ser fixado ao quadro elétrico. “O DR Móvel acompanha os equipamentos destinados à construção de obra em obra, garantindo o seu uso com minimização de riscos”, diz Reynaldo Gabardo Jr., diretor da Reymaster. 

O grau de proteção do DR Móvel é IP 66, segundo a norma europeia IEC 60529 e 60598, e ele é à prova de chuva e poeira. Ainda atende a normativa RoHs, que proíbe que substâncias perigosas sejam usadas em processos de fabricação como o mercúrio e o chumbo. Atende ainda a regulamentação brasileira NR-10, que normatiza e regulamenta produtos e procedimentos para todas fases da transformação de energia elétrica e trabalhos realizados com eletricidade.

O DR Móvel, da marca PSMR, tem botões de “teste” e “reset” para a checagem das funcionalidades e o desligamento manual da rede elétrica, em casos de emergência. “Este é um produto indispensável para a engenharia civil, pois além de ser de fácil uso e mobilidade, protege a vida das pessoas e os equipamentos das empreiteiras”, defende Gabardo Júnior.

Assim como o DR fixo, o DR Móvel identifica o aumento do fluxo de energia e “desarma” a rede, evitando tanto que os aparelhos ligados à rede elétrica sejam danificados como a incidência de choques ou até incêndios iniciados pela sobrecarga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *