Em dois anos, energias renováveis podem ficar mais baratas que fósseis

Da Redação – 15.01.2018 –

De acordo com a Agência Internacional de Energia Renovável (Irena), o custo de geração de energia eólica terrestre caiu cerca de um quarto desde 2010 e os custos de energia solar fotovoltaica caíram 73% nesse período. Nos próximos dois anos, a energia solar deverá cair ainda mais, chegando à metade do que é hoje. E é por isso que a Irena calcula que os melhores projetos de energias renováveis poderão fornecer eletricidade por cerca de 3 centavos de dólar por quilowatt-hora (kWh). Hoje, a energia gerada por tecnologias que usam combustíveis fósseis varia entre 5 e 17 centavos de dólar por kWh, compara a entidade.

Os custos médios ponderados globais nos últimos 12 meses para a energia solar e a energia eólica terrestre agora estão na faixa de 6 e 10 centavos de dólar por kWh, respectivamente. “Esta nova dinâmica sinaliza uma mudança significativa no paradigma energético”, diz Adnan Z. Amin, diretor geral da Irena.

Os dados divulgados pela entidade estão no relatório “Custos de geração de energia renovável em 2017”, onde ainda há destaque para outras formas de geração, como os projetos de bioenergia, geotérmica e hidrelétrica.

O relatório também destaca que os resultados de leilões de energia indicam que os projetos de energia eólica offshore e energia solar concentrados no período entre 2020 e 2022 custarão na faixa de 6-10 centavos de dólar por kWh, apoiando a implantação acelerada globalmente. No todo, a Irena projeta que todas as tecnologias de energia renovável competirão com os fósseis no preço até 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *