Em Paraibuna, Embu inicia nova linha de britagem

Da Redação – 12.04.2017 –

Durante o Fórum InfraROI de Concretagem Produtiva, a Pedreira Embu apresenta a gestão de agregados para construção e antecipa sua nova unidade de Paraibuna.

No prazo de dois a três meses, o grupo Embu, que figura entre os maiores produtores de agregados para construção civil do país, inicia a operação comercial da linha de britagem de sua mais nova unidade, localizada em Paraibuna (SP), junto à rodovia dos Tamoios. “Na verdade, já estamos operando no local por meio de um conjunto móvel de britagem e as novas instalações nos permitirão oferecer uma maior variedade de produtos ao mercado, como brita 1, brita 2 e outros”, afirma o engenheiro de minas Leonardo Motta, da Embu S.A. Engenharia e Comércio.

Motta participou nesta manhã do Fórum InfraROI de Concretagem Produtiva, realizado no Hotel Shetaron WTC, em São Paulo, integrando um painel sobre gestão de agregados e produção de areia de brita para o mercado de concretagem. Segundo ele, a pedreira de Paraibuna foi projetada para contar com uma capacidade instalada inicial de 240 mil toneladas por ano, contando com um britador primário de mandíbulas e dois estágios de rebritagem (secundária e terciária) e duas peneiras de classificação.

“Com essa unidade, passamos a dispor de áreas para produção distribuídas estrategicamente em torno de toda a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), além de ganharmos capacidade para atendimento ao litoral Norte do Estado”, diz Motta. Ele destaca que os investimentos na unidade já haviam sido programados no passado e acabaram sendo efetivados num momento em que a empresa vislumbra oportunidades de retomada no mercado de agregados para construção.

Além desta unidade, a empresa conta com pedreiras em Perus, na cidade de São Paulo, bem como em Embu das Artes, Mogi das Cruzes e Itupeva, todas na RMSP. O Fórum InfraROI de Concretagem Produtiva, que está sendo realizado neste momento, reúne profissionais de construtoras, de concreteiras e fornecedores de agregados e demais insumos usados no concreto, para um debate sobre a maior produtividade e eficiência em todo este processo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *