Endividada, Santo André transfere gestão do saneamento para a Sabesp

Redação – 01.08.2019 –

Com dividas de R$ 3,4 bilhões com serviços de saneamento básico, a prefeitura de Santo André, o governo paulista e a Sabesp firmaram acordo para que esta última assuma o serviço na cidade pelos próximos 40 anos. O contrato prevê a realização de obras imediatas para que em seis meses Santo André alcance a universalização do fornecimento de água, com a eliminação de cortes no abastecimento e também do uso de caminhões-pipa, que hoje atendem 2% da população da cidade.
Também estão previstas obras para a universalização do tratamento de esgoto em até seis anos. Hoje, 98% do esgoto gerado em Santo André é coletado e 46% tratado. “É um dia histórico para Santo André. Estamos reduzindo a dívida da cidade em 80% para recuperar a capacidade de investimento, aumento na qualidade da água e no saneamento básico”, disse prefeito da cidade, Paulo Serra.
Os investimentos da Sabesp na cidade estão previstos em cerca de R$ 917 milhões. Também serão transferidos mais R$ 622 milhões para o Fundo Municipal de Saneamento (FMSA), totalizando mais de R$ 1,5 bilhão em investimentos.

Transição
Em 180 dias, Sabesp e Semasa vão trabalhar em conjunto na transição dos serviços de água e esgoto. Depois deste período, o Semasa também será uma espécie de agência reguladora e de fiscalização da execução do contrato com a Sabesp.
Além disso, o Semasa se fortalece à frente dos demais serviços que envolvem o saneamento ambiental da cidade, como a coleta de resíduos sólidos, varrição, drenagem, educação ambiental e gestão ambiental, com o licenciamento de atividades e fiscalização de ruídos e descartes irregulares, por exemplo. A autarquia municipal vai receber 4% do faturamento de água e esgoto arrecadado pela Sabesp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *