Especial Pedreira: Britador de rolos conquista área de agregados

De Redação – 4 de dezembro de 2014

Casos como o da Incopel comprovam que a tecnologia – cuja tendência era de adoção pelo setor mineral – pode ser aplicada com eficiência pelo setor de agregados

Diferentemente dos britadores de rolos convencionais – que apresentam pressão de operação baixa – o HRC 800 caracteriza-se pela flexibilidade, segundo a Metso. A abertura de alimentação ajusta-se automaticamente em função das características do material que será britado e do sistema hidráulico. Esse mecanismo também contribui para a aplicação de uma força constante, aplicada pelos rolos, o que resulta na flexibilidade para a alimentação e produto.

Para Willer Ito, engenheiro de Suporte ao Produto da Metso, a tendência de adoção do HRC, inicialmente em mineração, migra agora também para a área de agregados. Diretamente envolvido com o projeto da Incopel, ele destaca que a pedreira tem um grande potencial de conquista de mercado, pois está sendo pioneira na região.

A experiência anterior da Metso com a tecnologia HRC em outra empresa do setor – também explorando basalto – contribui no aperfeiçoamento da unidade gaúcha. “Nesse outro cliente temos uma operação que funciona com 5 mil horas sem que tenha sido necessária a troca dos rolos de desgaste do britador”, detalha.

De acordo com a fabricante, embora incorporando alta tecnologia, inclusive automação consistente, a interface da operação do HRC é simples. Ito destaca não só a tela amigável do sistema de controle nesse caso, mas também o princípio de operação do britador de rolos da Metso. “O coração do processo é a pressão estabelecida. Se modificarmos esse fator, mudamos o tipo de produto final”, resume.

Os materiais britados, segundo Willer Ito, vão desde o basalto até a sílica, incluindo cobre, calcário, granito e diabásio entre os minerais atualmente processados. “Os exemplos são vários e se multiplicam. Temos, inclusive, um caso de porto de areia em São Paulo, onde a empresa adotou o HRC para britar o seixo rolado que é extraído juntamente com a areia natural e que anteriormente era um rejeito para este cliente”, diz.

Para ele, a tecnologia é agnóstica e pode ser aplicada em qualquer operação, desde que haja a adequação técnica.

Predicados

De acordo com a Metso, a capacidade nominal de 120 toneladas/hora permite ao HRC 800 ter as configurações (pressão e velocidade) alteradas rapidamente. O ajuste da pressão influi diretamente na malha granulométrica final, enquanto que a velocidade influi na quantidade de material processada pelo britador.

Eficiente energeticamente, o equipamento consome cerca de 48% da potência disponibilizada pelos dois motores de 150 cv cada, enviando o material britado para a peneira TS3.3, com três decks, que faz a classificação determinada no projeto. No caso da Incopel, a título de teste, a mineradora já alcançou picos de produção de 126 toneladas/hora. Isso corresponde a um consumo de 0,84kW/tonelada de produto final no britador. Com movimento elíptico, a peneira é caracterizada pela boa estratificação e pela alta eficiência de peneiramento.

Ainda segundo a Metso, pelo fato de ter uma velocidade de transporte decrescente (e não contínua como nos equipamentos convencionais), o equipamento submete o produto britado a uma classificação na qual o tempo e a superfície são maiores, o que resulta numa seleção de partículas de granulometria próxima entre si.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *