ETE Barueri deve chegar a 16 mil litros por segundo em outubro

Da Redação – 30.06.2017 –

Estimativa é da Passarelli, construtora responsável pela obra em consórcio com a Engeform

ETE BarueriDesde que foi ativada na década de 1980, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Barueri, da Sabesp, tinha a capacidade para tratar 9,5 mil litros por segundo. Com as obras de ampliação iniciadas há quatro anos, a instalação atingiu recentemente 12 mil litros por segundo e deve chegar a 16 mil litros por segundo em outubro desse ano. Como a estrutura de montagem elétrica já tinha sido estruturada anteriormente, a maior complexidade do empreendimento envolveu as etapas civil e mecânica, segundo o engenheiro José Galante Molina, gerente desse projeto na Passarelli.

De acordo com ele, o foco da expansão na área civil envolveu a construção dos tanques de aeração, decantadores primários, a casa dos compressores e os adensadores por gravidade. O consumo de concreto deverá somar 60 mil m3 no total, o que traduz o desafio das duas construtoras envolvidas. Somente o tanque de aeração exigiu 50 mil metros lineares de estaca raiz e também recebeu atenção especial na etapa de expansão hidromecânica. Além toda a tubulação que fornece ar para o tanque, o empreendimento envolve três grandes compressores responsáveis pelo fornecimento de ar para a aeração.
ETE BArueri 2
Além da definição do traço correto do concreto – fundamental em função da corrosão provocada pelo esgoto – o gerenciamento da entrega dessa matéria prima é fundamental, de acordo com Galante. O grande volume ajudou no processo. “Todo o material é usinado e gerenciamos a entrega das concreteiras, inclusive com penalizações em caso de atrasos”, explica.

Com a ampliação para 12 mil metros por segundo, a ETE Barueri passa a atender 1,2 milhão de pessoas na Grande São Paulo. A obra de ampliação, por sua vez, vai consumir um investimento de R$ 390 milhões, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). Por dia, o empreendimento retira 216 milhões de litros de esgoto dos rios Tietê e Pinheiros, além de prover maior capacidade de recolhimento e tratamento de efluentes. A segunda etapa de ampliação (16 mil litros por segundo) vai retirar cerca de 561 milhões de litros de efluentes por dia dos rios de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *