Expansão dos ISPs movimenta o mercado de redes

Da Redação – 22.05.2017 –

Instaladoras de redes relatam que, apesar de os projetos serem de pequeno porte, eles são implantados em regime contínuo, já que esses provedores não param de crescer.

A expansão do mercado de provedores regionais de internet, os ISPs, está impulsionando o setor de serviços para redes de telecomunicações, contribuindo para manter o faturamento e o nível de atividade dessas empresas, mesmo diante da queda na contratação das operadoras de telecomunicações tradicionais. “Estamos com toda a nossa capacidade tomada até o fim do ano com a implantação de redes de fibras ópticas para quatro ISPs”, afirma Felipe Fursine, diretor de empresa Fursine, especializada em projeto e gestão de redes para esse perfil de clientes.

Segundo ele, esses projetos de implantação de rede de fibra ótica até o usuário final, também conhecidos como FTTx, somam cerca de 2.800 pontos para assinantes. Parece pouco diante das centenas de milhares de pontos disponibilizados por uma operadora convencional? Pois Fursine destaca que os ISPs não param de cabear suas redes, seja para substituir o serviço antes oferecido por comunicação via rádio, seja para ampliar a área de atuação. De acordo com o executivo, esses pequenos provedores operam com cerca de 200 a 20.000 pontos, sendo que muitos deles já iniciam suas atividades – com 100 ou 200 assinantes – por meio de rede FTTx.

O crescimento desses provedores, de forma lenta e contínua, deve ser creditado ao perfil das empresas, que em sua maioria são de pequeno e médio porte. Sem capital de giro e disponibilidade de crédito, eles viabilizam seus projetos de acordo com o fluxo de caixa e a aceitação dos serviços nas respectivas regiões em que atuam, geralmente não são atendidas pelas operadoras tradicionais. “Em geral, a cada quatro meses eles partem para uma nova ampliação, com investimentos médios de R$ 100 mil a R$ 300 mil em cada um desses projetos”, diz Fursine.

Por esse motivo, a empresa, que tem sede em Belo Horizonte (MG) e já atendeu operadoras de telecomunicações, dedica-se basicamente a esse perfil de clientes desde 2011. “Eles necessitam da consultoria de uma empresa especializada, desde o projeto da rede até sua gestão.” Fursine explica que a empresa atua na região Sudeste do país, com foco nos ISPs que operam no interior desses estados ou nas regiões metropolitanas de suas respectivas capitais. Além desse segmento, a companhia presta serviços de suporte em tecnologia da informação (TI) para o mercado corporativo.

De acordo com o executivo, o apoio à implantação ou expansão das redes FTTx começa com o pré-projeto, que funciona como um plano de negócios para o ISP. “Dessa forma, ele tem uma estimativa dos investimentos e do retorno.” O processo envolve ainda as gestões junto à operadora de energia, aprovações de documentos e o projeto tecnológico, para que o provedor realize sua expansão de forma escalável. Ao final, a empresa acompanha a implementação da rede até a porta do usuário final – validando até mesmo as emendas de cada fibra e a ativação de cada assinante – além de treinar os profissionais do ISP para sua operação.

Segundo Fursine, os ISPs também demandam um suporte em gestão da rede, com o monitoramento do tráfego e performance. Nesse caso, a empresa disponibiliza profissionais em regime integral para atendimentos aos clientes in loco. Segundo ele, esse suporte é fundamental para clientes que operam de forma enxuta e não dispõem de equipes internas para a execução desses serviços. “Como a tecnologia óptica está muito competitiva em relação às soluções wireless em termos de custo e performance, muitos ISPs já iniciam suas operações com fibra”, conclui o executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *