Fusões e aquisições devem crescer no setor de óleo e gás

Da Redação 07.07.2015 –

Mais da metade dos executivos do setor pretende realizar novos negócios nos próximos 12 meses, mostra estudo.

O 12° Oil & Gas Global Capital Confidence Barometer, estudo semestral da Ernst & Young, indicou que 56% dos executivos do setor de óleo e gás pretende realizar fusões e aquisições nos próximos 12 meses, enquanto 60% deles esperam fechar pelo menos dois negócios. Segundo a pesquisa, o interesse por fusões e aquisições nesse mercado se recuperou ao longo dos últimos seis meses, conforme as implicações da queda do preço do petróleo foram relevadas. Para 99% dos entrevistados, o setor deve melhorar ou permanecer estável até junho de 2016.

Segundo Luiz Claudio Campos, sócio de transações corporativas do Centro de Energia e Recursos Naturais da Ernest & Young, em 2014 as transações atingiram a maior alta em cinco anos, mas o primeiro trimestre de 2015 foi o mais tranquilo nos últimos anos. “A queda súbita e acentuada no preço do petróleo forçou muitas empresas a adotar foco na operação interna – cortando agressivamente os gastos e custos. Oportunidades de fusões e aquisições foram adiadas por causa da incerteza sobre as perspectivas do preço do petróleo.” Ele afirma que com o aumento na economia global, as oportunidades de aquisição estão crescendo e devem ser concretizadas.

Especial: 9 informações que prometem investimentos bilionários no setor de gás natural

Atualmente, 74% das empresas do setor estão considerando negócios com ofertas de menos de US$ 250 milhões, uma oportunidade para transações no middle market. Para 85% dos executivos entrevistados, o valuation gap entre compradores e vendedores permanecerá em níveis superáveis, o que vai incentivar o fechamento de negócios em curto prazo. A pesquisa também indica que 63% deles estão dedicados a reduzir custos e melhorar a eficiência operacional, enquanto planejam aquisições para o próximo ano.

Deixe uma resposta

*

Este post foi visto 964 vez(es).