Itaipu Binacional investe em planos de segurança cibernética

Redação – 27.06.2019 –

Parque de Tecnologia da usina, que desenvolve projetos na área, ganha maior relevância no processo, segundo empresa

A atualização tecnológica da segunda maior usina hidrelétrica do mundo está em curso e vai ser finalizada nos próximos 14 anos. Agora, o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), instituição que funciona independentemente de sua mantenedora, a própria usina, muda de foco e participa mais ativamente das mudanças. A atuação passa a ser focada em dar mais sustentabilidade para a operação de Itaipu por meio de projetos de automação, inovação e tecnologia.

O PTI, administrado pela Fundação Parque Tecnológico Itaipu, é o mais importante centro de pesquisa em tecnologia e inovação ligado à usina paranaense. A instituição desenvolve, entre outros, projetos de segurança cibernética, automação e simulação de sistemas elétricos e segurança de barragens. As iniciativas são voltadas ao atendimento de demandas de Itaipu e também de outras usinas. Segundo o diretor do PTI as iniciativas estão 100% alinhadas com a hidrelétrica, maior produtora de energia elétrica limpa e renovável do planeta e também mantenedora do PTI.

Entre as estruturas sediadas no PTI estão o Centro de Estudos Avançados em Segurança de Barragens (Ceasb), o Centro de Estudos Avançados em Proteção de Estruturas Estratégicas (Ceape²), o Laboratório de Automação e Simulação de Sistemas Elétricos (Lasse) e o Laboratório Vivo de Cidades Inteligentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *