Leilão atrai R$ 14,4 bi em obras de transmissão

Da Redação – 25.04.2017 –

Aneel conclui leilão de 31 lotes, que totalizam 7.068 quilômetros de linhas de transmissão e subestações em todo o país, dos 35 colocados para concessão ao setor privado.

O leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), realizado nesta segunda-feira (24) terminou com 31 lotes arrematados em 20 estados brasileiros de um total de 35 lotes ofertados para concessão ao setor privado. Não receberam propostas os lotes 12 (Maranhão e Tocantis), 16 (Piauí e Maranhão), 17 (Rio Grande do Sul) e 24 (São Paulo).

As concessões são para construção, operação e manutenção de 7.068 quilômetros de linhas de transmissão e subestações que totalizam 13,2 mil megavolt-ampere (MVA). As instalações entram em operação no prazo de 36 a 60 meses. O certame atraiu a disputa de 21 empresas e, considerados os consórcios, o número de empresas interessadas chegou a 50. Na média, cada lote foi disputado por sete empresas, contra quatro na última edição.

Com o acirramento na disputa, o leilão resultou em maior deságio e arrecadação para o poder concedente. “O aumento na competição é resultado de um melhor ambiente de negócios”, comemorou o diretor-geral da agência reguladora, Romeu Rufino. Para a Aneel, o fato de o leilão ter sido marcado por empresas estreantes, tanto nacionais quanto estrangeiras, não preocupa porque os mecanismos de controle de cumprimento das obrigações foram aprimorados.

O maior deságio, de 58,86%, ocorreu no lote 10, com 10 linhas no Rio Grande do Sul, cujo vencedor foi a Saterlite Power, com uma oferta de 34,5 milhões de reais. O maior valor ofertado no leilão foi realizado pelo Consórcio Columbia, para arrematar o lote 1 – um total de 267,3 milhões de reais, com deságio de 33,24%. Este lote contempla o fornecimento de energia ao Mato Grosso do Sul e o escoamento da energia gerada pela hidrelétrica de Itaipu.

O lote 2, também no Paraná, foi arrematado pelo Consórcio Cesbe-Fasttel por  28 milhões de rais e deságio de 12,5%. São 117 quilômetros de linhas e 150 MVA que vão reforçar o serviço em Mato Grosso do Sul. Já a Energisa venceu o lote 3, com linhas e subestação em Goiás. Este lote tem uma linha de transmissão de 272 quilômetros e subestação de 1.344 MVA para abastecer o Mato Grosso do Sul.

Atendendo também a Mato Grosso do Sul, o lote 4 foi arrematado pela Elektro por 65,5 milhões de reais e deságio de 34,5%. O Consórcio Aliança ganhou o lote 21, com lance de 171,8 milhões de reais e deságio de 34,99%, para 753 quilômetros de linhas e uma subestação de 1344 MVA, em Santa Catarina. Já o lote 22, que também atende Santa Catarina, foi arrematado pela Elektro Holding, com deságio de 46,17% e valor de 13,5 milhões de reais.

Competidores tradicionais

Considerada um dos principais players da disputa, a Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) arrematou quatro lotes (5, 6, 25 e 29). Com lance de 18,3 milhões de reais e deságio de 32,2%, ela ganhou 36 km de linhas e uma subestação de 500 MVA no Paraná (lote 5). A companhia também venceu o lote 6, com lance de 46,1 milhões de reais, que tem uma subestação em São Paulo e servirá como compensação reativa para os sistemas de 440 e 500 quilovolts do estado.

O lote 25, que conta com uma subestação localizada em São Paulo, também foi vencido pela empresa com uma oferta de 10,7 milhões de reais e deságio de 57,55%. Com o segundo maior valor leiloado, o lote 18, em Minas Gerais e São Paulo, foi arrematado pela EDP por 205 milhões de reais e deságio de 47,4%. O quarto lote levado pela CTEEP foi o 29, cuja oferta foi de 53,6 milhões de reais. A concessão vai corrigir o carregamento e tensão na rede do interior paulista.

Com 330 quilômetros de linhas nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, o lote 19 recebeu a oferta de 99,1 milhões de reais do Consórcio Olympus II. O lote 20, por sua vez, foi vencido pela Elektro Holding com deságio de 52,93% e um lance de 13,2 milhões de reais. Trata-se de uma subestação em São Paulo. Ainda no Sudeste, o lote 8, no Rio de Janeiro, foi arrematado pela Arteon Z Energia e Participações por 9,3 milhões de reais. Trata-se da concessão de uma subestação de 300 MVA para expandir cargas para Resende (RJ).

O leilão também foi marcado pelo apetite de tradicionais investidores do setor, como a EDP, Elektro e Energisa, que arremataram lotes no Norte e Nordeste do país. A EDP ganhou a concessão dos lotes 7 e 11, ambos no Maranhão. Já a Elektro arrematou o lote 27, no Ceará, que vai garantir o intercâmbio de energia entre o Norte e Nordeste do país com o início das operações da hidrelétrica de Belo Monte. A Energisa, por sua vez, levou o lote 26, no Pará, que inclui 592 quilômetros de linhas na região de Santana do Araguaia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *