Mercado global de smart grid cresce 30% ao ano

Da Redação – 15.05.2018 –

Ataques digitais avançam no mesmo ou em ritmo maior ainda e incluem fraudes como roubo de identidade 

A holandesa Gemalto, especializada em soluções de segurança, avalia que os hackers na área de redes inteligentes de energia (smart grids), andam mais rápidos que a ativação de medidores desse tipo e outros aparatos que formam a tecnologia. Ou seja, acima de 30% ao ano, que é o índice de crescimento das smart grids no mundo, segundo o site de notícias Technocracy.

Por isso, a aposta da empresa em um pacote de proteção dos dados transmitidos pelos dispositivos em campo. As soluções são adotadas tanto pelos fabricantes de medidores inteligentes como pelas próprias concessionárias de distribuição de energia, os alvos mais intensos da smart grid.

Os especialistas lembram que as smart grids tornaram-se redes abrangentes de Internet das Coisas (IoT) com milhões de medidores conectados que compartilham grande volume de dados em tempo real sobre pessoas, empresas e consumo de energia. As informações servem para o melhor planejamento da oferta e a demanda e para a integração de energias renováveis, entre outras coisas.

Já as motivações para hackear essa infraestrutura são muitas e diversas: fraude no consumo de energia, conhecimento da atividade dos moradores, instabilidade da rede, pressão sobre os governos, roubo de identidade. A segurança digital, na avaliação da empresa europeia, é fundamental para o sucesso de uma rede eficiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *