MPF vai monitorar remediação do desastre causado pela Samarco  

Da Redação – 23.03.2017 –

Dinamarquesa Ramboll foi contratada pelo Ministério Público Federal (MPF) para acompanhar 41 programas criados após o acidente que afetou os estados de Minas Gerais e Espírito Santo

Especializada em engenharia, projetos e consultoria, a companhia europeia fica encarregada de monitorar as 18 iniciativas de remediação na área socioambiental e outras 23 socioeconômicas elaboradas pela Fundação Renova a pedido do MPF. Além de acompanhar a aplicação, a Ramboll também poderá propor atividades adicionais aos projetos que tem como foco a Bacia do Rio Doce, gravemente afetada pelo rompimento da barragem de rejeitos minerais da Samarco. Além das consequências materiais, o acidente deixou 18 mortos e um desaparecido.

De acordo com a Ramboll, mais de 30 profissionais dedicaram-se ao projeto de acompanhamento, além de sete especialistas internacionais em remediação de desastres graves. As equipes têm uma experiência acumulada em ecologia, geologia, biologia, engenharia civil e ambiental, gestão de riscos, serviços ecológicos e avaliação socioambiental.

Na fiscalização dos projetos, o MPF conta ainda com os Ministérios Públicos Estaduais de Minas Gerais e Espírito Santo no papel de coordenação. Já o Instituto Lactec foi contratado para avaliar a gravidade dos danos ambientais. O MPF planeja ainda contratar outra empresa para avaliar os impactos socioeconômicos nos municípios afetados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *