Mulheres ampliam presença em empresas de tecnologia

Redação – 08.03.2020 –

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio do IBGE, as mulheres representam cerca de 20% dos profissionais atuando no mercado de TI no Brasil. A proporção, apesar de ainda baixa, representa avanço das mulheres profissionais em Algoritmos, Inteligência Artificial, Data Science e outros setores tecnológicos que, até pouco tempo, eram quase que integralmente dominados por homens.

São milhares de mulheres que dedicam suas horas entre bytes, gigas e teras, como a desenvolvedora de TI da Plataforma A+, Carolina Cervela Freire. Aos 31 anos, a profissional foi descoberta pela equipe de gestão da edtech no mundo virtual. “Os líderes da área de tecnologia da Plataforma A+, encontraram meu perfil no Linkedin e me convidaram para uma entrevista, feita, aliás, por quatro homens. Claro que fiquei nervosa, porque sei que ainda existe um certo preconceito na área, mas ainda na entrevista, eles me deixaram super à vontade e conseguimos fazer uma conexão super bacana”, relata a jovem.

Carol, conquistou assim seu primeiro emprego na área. “Eu era da área da saúde (fisioterapia), mas com a pandemia, me vi sem muitas oportunidades e como a área de tecnologia me atraia de alguma forma, resolvi me arriscar e embarquei em um bootcamp. Um mês e meio depois, eu estava sendo empregada pela Plataforma A+”, comemora. “Tive a sorte de entrar em uma empresa que soube valorizar minha trajetória e enxergar em mim um potencial, fez muita diferença pra mim e para o meu processo”.

À frente da Plataforma A+, que hoje conta com quase 30 de colaboradores, Bruno Mota, CEO da edtech acredita que promover o aumento da participação feminina no setor não é apenas sobre pessoas. “É sobre negócios também! Aqui na Plataforma A+, engajamos práticas que favoreçam realmente o encontro de ideias dos mais diversos colaboradores. Acreditamos na troca de conhecimento promovida dentro de um cenário cada vez mais igualitário para expandirmos o nosso potencial e contribuirmos com a missão de construir gerações apaixonadas pelo saber”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *