New Holland atinge 250 mil minicarregadeiras produzidas

Da Redação – 15.02.2017 – 

Fabricante alcança esta marca global no ano em que celebra o 45º aniversário da tecnologia que popularizou a utilização das skid-steers, a articulação de braços Super Boom

No mesmo ano em que comemora o 45º aniversário de lançamento da tecnologia que impulsionou o uso das minicarregadeiras no mercado, o Super Boom, a New Holland atinge a marca de 250 mil equipamentos desse modelo produzidos no mundo. Para celebrar a data, a fabricante de equipamentos planejou uma ação de marketing, em conjunto com sua rede mundial de concessionárias, na qual as próximas minicarregadeiras vendidas serão adesivadas com um selo comemorativo.

Embora classifique o ano de 2017 como desafiador, o vice-presidente da New Holland Construction para a América Latina, Nicola D’Arpino, diz que a empresa segue em seu processo de crescimento de forma estruturada, com investimentos em tecnologia e inovação nos equipamentos. “Estamos otimistas e nos preparamos para apresentar novidades aos clientes que proporcionem ganhos em produtividade e eficiência, assim como a redução dos custos e o aumento da segurança para os operadores”, ele afirma.

Há 45 anos, a empresa começou a fabricar minicarregadeiras na fábrica de Grand Island, no Nebraska, Estados Unidos, cuja linha de produção foi transferida posteriormente para Belleville, na Pensilvânia (EUA), e, em 2002, para Wichita, no Kansas, onde são fabricadas atualmente. Já àquela época, os equipamentos incorporavam o sistema de articulação Super Boom, que proporciona melhor desempenho aos equipamentos. Desenvolvida em 1960, pelo engenheiro Larry Halls, a tecnologia surgiu da ideia de criar uma articulação de acionamento para cortadores que não precisasse de um braço de biela. Com isto, Halls criou um sistema de articulação de quatro barras que se transformou no que hoje é o Super Boom.

Entre outras inovações, o modelo L35, a primeira minicarregadeira fabricada pela empresa, foi pioneiro no mercado ao oferecer uma distância maior entre os eixos, proporcionando mais estabilidade às operações, bem como a segurança e o conforto ao operador. As preocupações com a integridade física do operador também pautaram outras inovações ao longo do tempo, como o mecanismo de bloqueio de partes específicas da máquina (braço) e as cabines dotadas de proteção contra capotamentos e queda de objetos (ROPs/FOPs).

Antes dessa inovação na segurança, todas as minicarregadeiras tinham cabines abertas, o que impedia a proteção do operador contra a queda de materiais, os pontos de compressão do braço da carregadeira e o capotamento da máquina. Os avanços realizados nos outros produtos da New Holland também acabaram refletindo na L35. Nessa linha, o sistema de acionamento hidrostático de uma ceifadeira automotora foi incorporado ao modelo, outro fato inédito no setor.

Atualmente, a empresa comercializa no Brasil sete modelos da série 200 de minicarregadeiras (L213, L215, L218, L220, L223, L225 e L230), lançada em 2011. Os modelos mais utilizados são os sobre pneus, conhecidos como skid-steermas também existem opções sobre esteiras. “As minicarregadeiras podem ser equipadas com diferentes tipos de implementos, como caçambas, valetadeiras, perfuratrizes, roçadeiras, garfos porta-pallets e outros, o que as torna muito versáteis e produtivas para atuar na construção civil e em diversas atividades no setor agropecuário, como carregamento de fardos e limpeza de currais”, destaca Rafael Barbosa, especialis­ta de Marketing de Produto da New Holland Construction.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *