Nitrogênio pode ser usado para reduzir rachaduras em concreto

Da redação – 28.09.2016 –

Desenvolvida pela Air Liquide, tecnologia acelera resfriamento, diminuindo problemas principalmente em grandes estruturas.

Conhecida pela sua atuação no fornecimento de gases industriais para áreas como indústria e saúde, a Air Liquide acaba de colocar seu pé no segmento de construção civil. A empresa está divulgando o Cryocrete, aplicação de nigrogênio em grandes estruturas de concreto, permitindo o resfriamento do material até o nível considerado como adequado para evitar futuras rachaduras e outros tipos de fissuras. A aplicação teria mais apelo em obras como barragens, pontes, viadutos e usinas, entre outras.

O princípio de aplicação considera o cenário de preparação do concreto, quando fatores como a temperatura dos componentes fazem com que a temperatura final da mistura seja maior em relação à do ambiente. Essa diferença, na avaliação da empresa, pode comprometer o resultado da aplicação e fazer com que surjam rachaduras na construção, já que o cimento não foi “curado”, ou seja, hidratado e resfriado de forma adequada.

“A aplicação do CryoCrete acelera esse processo porque o nitrogênio é um gás que, naturalmente, já se encontra sob baixíssimas temperaturas, de até -196ºC. O resultado é o resfriamento mais rápido da mistura de concreto, que leva em média de 6 a 7 minutos para atingir a temperatura ambiente com o uso da solução da Air Liquide”, explica a companhia em nota oficial. O resfriamento com gelo, alternativa normalmente utilizada nesse processo, consome de 15 a 20 minutos.

O uso do nitrogênio para resfriar concreto também seria mais eficaz do ponto de vista operacional na avaliação da Air Liquide. O gás é aplicado diretamente nas betoneiras, por meio de equipamento próprio para essa finalidade. O gelo, na maioria das vezes, demanda que a aplicação seja feita de forma manual, além de não atingir as mesmas temperaturas se comparado ao uso do gás. O processo também economizaria o consumo de água e energia durante no resfriamento do concreto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *