Níveis de atividade e emprego na indústria da construção têm leve alta em março

Da Redação – 26.04.2015 –

Índice segue abaixo da linha divisória de 50 pontos, considerada como ideal, mas demonstra que o desemprego no setor está menos pior do que nos últimos meses.

A sondagem trimestral sobre a indústria da construção, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), divulgou os resultados do primeiro trimestre do ano com pessimismo. No geral, os índices do setor seguem baixos, principalmente no que tange a satisfação financeira dos empresários de construção e o nível de atividade do setor. Entretanto, de fevereiro para março, um dos índices foi ligeiramente positivo e demonstra, entre outros vieses, que o desemprego desacelerou de fevereiro para março.

Os índices de atividade e de número de emprego na indústria da construção, apresentaram elevação de 2,3 e de 1,1 pontos, respectivamente. Agora, esses índices alcançaram a casa dos 37,5 pontos e 36,6 pontos e o CBIC avalia que isso indica redução do ritmo de queda da atividade e do emprego.

Mesmo assim, o relatório é taxativo ao afirmar que os índices de nível de atividade e de número de empregados permanecem muito abaixo da linha divisória, que é de 50 pontos, e isso indica queda da atividade e do emprego no setor.

A satisfação com a situação financeira e com o lucro operacional das indústrias de construção é outro índice pontuado pelo relatório. Nesse caso, os números são os piores de um trimestre na série histórica da sondagem, ficando a satisfação financeira com 33,3 pontos e a satisfação com o lucro em 28,8. A série mede pontuação de zero a 100 e tem como linha divisória a média de 50.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *