ONU aponta novo recorde mundial em energias renováveis

Da Agência Brasil – 09.05.2017 –

Com a queda nos custos de implantação das usinas eólicas e solares, a ONU constata que 20% da energia consumida no mundo já é gerada por fontes renováveis.

O ano de 2016 foi marcado por um novo recorde mundial em termos de adição de capacidade de geração de energia eólica e solar, totalizando 166 gigawatts em novas usinas que entraram em operação em todo o planeta. O anúncio é da agência ONU Meio Ambiente, que divulgou recentemente, em Nova York, Estados Unidos, um relatório sobre energias renováveis. Apesar do recorde, devido à redução de custos das usinas eólicas e fotovoltaicas, os investimentos em energias renováveis foram menores, chegando a US$ 242 bilhões.

As informações são da ONU News, publicação produzida pela Organização das Nações Unidas. Segundo a entidade, outra notícia positiva no ano de 2016 foi a diminuição das emissões de gases de efeito estufa geradas pelo setor de energia, o que foi possível devido aos investimentos da China e dos Estados Unidos em fontes renováveis. O chefe de Energia e Clima da ONU Meio Ambiente, Mark Radka, explicou que, apesar das dificuldades, existe um consenso internacional de que a eletricidade renovável dominará no futuro. Ele falou sobre oportunidades e desafios para que a meta seja alcançada até o meio deste século 21.

O principal, segundo Radka, é começar, a partir de já, a montar a infraestrutura adequada para que o mundo dependa apenas de energias renováveis. Atualmente, 20% da energia consumida no mundo é gerada por fontes renováveis, beneficiando cerca de 100 milhões de pessoas. Mas especialistas acreditam ser possível chegar a 100% até 2050 – esta é a opinião de 70% dos que foram entrevistados para o relatório da ONU Meio Ambiente.

Segundo o relatório da agência, os governos precisam criar políticas e buscar o financiamento necessário para atingir as metas, uma vez que os custos das energias solar e eólica já estão bastante competitivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *