Pandemia acelera avanço da infraestrutura de TI na área da saúde

Redação InfraDigital – 17.08.2021 – Saiba o que mudou, originou e se especializou no setor da saúde durante a pandemia 

A corrida da ciência e tecnologia para combater a covid-19 impulsionou um desenvolvimento considerável no setor da saúde. Segundo a consultoria IDC, mais de US$ 1,9 bilhão vão ser investidos em tecnologia para saúde até 2022. O principal avanço está na telemedicina, mas também há mais três áreas que se destacam, confira: 

1- Telemedicina 

Em abril de 2020, a Lei 13.989 que regulariza a telemedicina foi sancionada. Buscando barrar a disseminação do vírus, a legislação supriu a necessidade de médicos e pacientes em realizarem consultas sem precisar de contato físico. Até então, a realização de atendimentos como teleconsulta era proibida. Uma complementação aprovada em novembro do mesmo ano permitiu que após o fim da emergência sanitária essas práticas sejam regulamentadas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). 

2 – Aplicativos de saúde 

No período de pandemia, o governo disponibilizou um aplicativo chamado “Coronavírus SUS” que notifica o usuário quando ele tem contato com alguém que teve o vírus, e dá informações sobre o que é covid-19, sintomas, prevenção e transmissão. Além dele, também surgiram diversos apps que ajudaram as pessoas a lidarem com as consequências do isolamento social. Aplicativos de exercícios para se fazer em casa, de yoga e de saúde mental tiveram aumento no número de downloads. 

3 – Testes de Saliva 

Os testes de saliva também evoluíram, como o meuDNA Covid, um teste molecular para covid-19 que é o RT-Lamp. Ele identifica o RNA do vírus nas células da pessoa infectada desde a fase inicial com apenas uma coleta de saliva. 

4 – Inteligência Artificial e Big Data 

A área da saúde tem usado os diversos dados dos pacientes para um atendimento mais qualificado e preciso. Através dos dados vindos de registros médicos eletrônicos, smartphones que monitoram as atividades dos pacientes, entre outros, e impulsionam a medicina personalizada. É possível até, por meio de Machine Learning, cruzar os dados e trazer insights importantes que auxiliam os profissionais em seus diagnósticos com maior precisão e dinamismo.

Confira a Revista InfraDigital, uma edição trimestral sobre o tema da telemedicina: http://infraroi.com.br/infradigital/telemedicina2/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *