Pará: canal do Tucunduba recebe asfaltamento das pistas laterais

Da Redação – 16.06.2016 –

Giro de Obras: Obra faz parte do projeto de saneamento integrado da capital paraense e também envolve a construção de calçadas para pedestres e ciclofaixas.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) iniciou, na semana passada, a pavimentação asfáltica das duas pistas laterais, de 11,5 m de largura cada, que margeiam o canal do Tucunduba, em Belém (PA). A ação integra um dos mais importantes projetos de saneamento integrado da capital paraense, encabeçado pelo Governo do Estado desde o inicio do ano.

“Atualmente, estamos iniciando o asfaltamento da pista da margem direita do canal, e também concluindo a terraplenagem e posterior início do asfaltamento da via da margem esquerda”, explica o engenheiro Sérgio Paixão, diretor de fiscalização da Sedop.

Ele conta que as obras também contemplam a construção de calçadas para pedestres, ciclofaixas e drenagem e dragagem do canal, além da construção de três pontes de concreto e uma passarela metálica. Orçada em quase R$ 35 milhões, com financiamento da Caixa Econômica Federal, essa etapa do projeto envolve uma área de cerca de 800 metros, no trecho que vai da Rua São Domingos até a rua dos Mundurucus, e deve ser concluída no final deste ano.

A retomada do projeto Tucunduba inclui ainda uma segunda frente de serviço, responsável pela construção da nova ponte de concreto da rua Celso Malcher, no bairro da Terra Firme.Cerca de quarenta estacas de sustentação, com seis metros cada, já foram cravadas nos dois lados do canal. Em seguida foram instaladas quatro vigas de coroamento, que formam a estrutura horizontal da nova ponte. Concluída esta etapa, o último passo será a colocação da base da ponte, chamada de tabuleiro. Com 29 metros de extensão e 11 metros de largura, a obra deve ser concluída até o final de julho.

Segundo o Sedop, a terceira e última etapa do projeto está prevista para começar em 2017 e envolve uma área de 1,4 km, que vai da Rua dos Mundurucus até a travessa Vileta, no bairro do Marco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *