Plano de órgãos ambientais quer reduzir impactos com derramamento de óleo

Da Redação – 13.10.2016 –

Iniciativa do IBP e Ibama inclui banco de dados que monitora espécies de fauna presentes em toda a costa brasileira, além das áreas e grupos prioritários à proteção.

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lançou, na semana passada, o Plano Nacional de Ação de Emergência para Fauna Impactada por Óleo (PAE-Fauna), documento que detalha as medidas que devem ser adotadas para reduzir e mitigar os impactos ambientais de derramamento de petróleo sobre a fauna brasileira.

Elaborado pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o PAE-Fauna é dividido em três partes: manual de boas práticas, Mapeamento ambiental para resposta e emergência do mar (Marem), e Plano do Ibama – sendo que esse último estará aberto para consulta pública até 4 de dezembro.

O Marem é um banco de dados que monitora as espécies de fauna da costa brasileira e áreas offshore vulneráveis a vazamentos acidentais de óleo, além das áreas e grupos prioritários à proteção. Segundo Antônio Guimarães, secretário-executivo de Exploração e Produção do IBP, o documento permitirá avanços não somente à indústria do petróleo. “O fruto dessas informações já vem sendo utilizada em benefício do licenciamento ambiental e também são acessados por universidades e ONGs”, disse.

Guimarães lembrou que foram investidos cerca de R$ 8 milhões no Marem, criado com o objetivo de se integrar ao sistema de monitoramento do Ibama. Os dados já podem ser acessados de qualquer lugar do país e reúnem mais de 70 mil registros fotográficos da fauna. Ao todo, foram mais de 7 mil km de costa brasileira mapeados em 2,1 mil localidades e 19 cidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *