Política atrapalha, mas ineficiência “quebra” setor elétrico, diz estudo

Da Redação – 05.07.2018 –

Apesar de calcular que o setor elétrico brasileiro perdeu cerca de R$ 65 bilhões nos últimos cinco anos, e que boa parte disso foi culpa da política errada para o setor, a consultoria alemã Roland Berger avalia que quase metade desse montante poderia ser recuperado se as empresas de geração e distribuição tivessem corrigido ineficiências.

A consultoria diz que ações para melhorar a gestão do capital e a análise de riscos poderiam gerar entre R$ 25 a R$ 30 bilhões em valor adicionado em apenas três anos. Isso vale mesmo para o cenário atual. “A MP 579 trouxe prejuízo e há ajustes a fazer, mas dá para ser mais eficiente”, diz Daniel Martins, executivo responsável pela análise.

Martins diz que existe uma lacuna técnica na análise, avaliação e gestão de projetos no setor, que ainda não utiliza modelos de gestão baseados em valor, segundo o qual cada operação consome capital e gera retorno de forma individual, para ajustar gargalos, negociar melhores tarifas e preços e desinvestir ativos ineficientes.

Ainda segundo o estudo, até R$ 20 bilhões da geração de valor projetada poderiam vir apenas da digitalização de operações. “Existem ineficiências tradicionais que podem ser exploradas para melhorar as margens operacionais junto com otimizações simples”, diz o texto.

Outra constatação é que uma agenda de eficiência e de capital nos próximos anos poderá recuperar o setor elétrico. A condição é que sejam implementadas medidas para melhorar margens operacionais, em especial no segmento de distribuição, onde os impactos da MP 579 foram mais severos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *