Presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez são presos pela Lava Jato

Da Redação (*) 19.06.2015

Prisões preventivas podem durar todo o período das investigações.

Os presidentes das construtoras Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, foram presos na manhã de sexta-feira (19/6), na 14ª  fase da Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal. Foram executados 59 mandados judiciais, sendo 12 prisões temporárias e preventivas, em São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, e tendo como alvo as duas das maiores empreiteiras do país, acusadas de corrupção e formação de cartel.

Segundo o juiz federal Sergio Moro, no mandato de prisão há uma prova material de pagamento de propina na qual consta o nome da Odebrecht como responsável. Marcelo Odebrecht também foi citado pelos delatores como um dos líderes do cartel de empresas que participaram do esquema da Petrobras.

No caso da empreiteira Andrade Gutierrez, Alberto Youssef, principal delator da Lava Jato, declarou que operou propinas da construtora no esquema de desvios da estatal, além de executar US$ 600 mil do caixa 2 da empresa pouco antes de ser pego pela PF.

Além do executivo da Odebrecht, mais cinco pessoas ligadas à empreiteira foram presas: João Antônio Bernardes, ex-diretor da empresa, Cristiana Maria da Silva Jorge, consultora, Alexandrino de Salles, Márcio Faria e Rogério Araújo.

Da Andrade Gutierrez, Antônio Campelo de Souza e Flávio Lucio Magalhães sofreram prisões temporárias.

A Odebrecht confirmou a operação da PF em seus escritórios de São Paulo e Rio de Janeiro, mas considera que os mandados de busca e apreensão eram desnecessários, posto que a empresa sempre esteve disposta a colaborar com as investigações.

A Andrade Gutierrez informou em nota que está acompanhando o caso e que prestará todo o apoio necessário aos seus executivos . Além disso, ela diz estar colaborando com as investigações para que os assuntos tratados sejam esclarecidos o mais rápido possível. A empreiteira nega que esteja envolvida no esquema de corrupção.

*Com informações da Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo e G1.

Related Posts

Deixe uma resposta

*

Este post foi visto 786 vez(es).