Projeto usa IoT para gerenciar qualidade de água

Da Redação – 14.07.2017 –

Iniciativa é da iMETland, que tem 11 parceiros de seis países, inclusive México e Argentina, e está sendo testado em quatro locais do mundo.

A Internet das Coisas (IoT) é uma das ferramentas que 11 empresas e entidades de seis países estão adotando para o gerenciamento inteligente de água para pequenas comunidades. De acordo com a reportagem do site Engineering.com, três etapas de tratamento podem ser monitorados e gerenciados com soluções IoT: o efluente que vai ser descartado, o processo de biofiltragem e a água tratada que pode ser adequada para uso.

O monitoramento acontece com uso do módulo Libelium Waspmote Plug & Sense, que pode ser interligado a energia solar e configurado para uma variedade de sensores. Entre os fatores que passam a ser acompanhados via IoT estão a temperatura da água, condutividade, pH, turbidez e teor de oxigênio dissolvido, bem como condições atmosféricas, como pressão, umidade e radiação solar.

Depois de coletar os dados relevantes, os módulos se comunicam com o gateway IoT da Libelium por meio de rede sem fio. Em seguida, o gateway carrega os dados do sensor para a nuvem através de uma conexão 3G. A partir daí os usuários podem acessar e visualizar os dados no painel do iMETland, com base na plataforma de integração de dados e de análise de negócios da IDbox.

“Explorando a combinação de setor de água, energia, tecnologia da informação e comunicação e dos recursos de terra, o projeto prepara o caminho para resolver as necessidades de tratamento de águas residuais das pequenas comunidades de uma forma econômica, eficiente em termos de energia e ambientalmente amigáveis”, explica Asier González da Aqua-Consult Ingenieros, um dos parceiros do projeto. O projeto está sendo testado em quatro locais em todo o mundo, na Argentina, Dinamarca, México e Espanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *