Quatro fabricantes mostram a tecnologia top em compactação de solo

Da redação, com assessoria de imprensa da Sobratema – 07.04.2016 – 

Realizado ontem, dia 06, em São Paulo, o Sobratema Workshop 2016, reuniu profissionais focados em equipamentos para compactação de solo e de asfalto. Veja os destaques de quatro dos fabricantes presentes.

Grupo Ammann e a compactação leve

Foco nas razões de compactação de solo, ou seja, aumento da capacidade de carga, da estabilidade e da homogeneidade do solo, para eliminar a água e a porosidade, reduzir sua permeabilidade e aumentar sua resistência à deformação. “Resumindo, é para melhorar as propriedades do terreno”, enfatizou.

Ritter falou ainda sobre os equipamentos para compactação leve, como o compactador de placa acoplável. “Esse equipamento pode ser usado em escavadoras, que possuem um alcance para atuar em lugares de difícil acesso, como valas profundas, estreitas e graus particularmente íngremes”, disse. Ele citou ainda os compactadores de percussão, as placas vibratórias e os equipamentos de trincheira.

Atlas Copco e o aumento da produtividade

Para Carlos Eduardo dos Santos, gerente de Produto da Atlas Copco, o destaque são as quatro variáveis que precisam ser observadas para aumento de produtividade: tipo do solo, espessura da camada, grau da compactação e comprimento do trecho, além da largura do rolo compactador e o tempo de execução ou velocidade do rolo. O resultado é o metro cúbico compactado.

Santos apresentou um caso de compactador autopropelido, que ao diminuir o número de passadas de 12 para 8 conseguiu obter um aumento de 50% na produtividade e ganhos de rentabilidade. Para isso foram consideradas, também, as variáveis relativas ao efeito de compactação – peso do módulo dianteiro, força centrífuga, geometria e disposição das patas e frequência e amplitude. “Não há uma fórmula para uma perfeita combinação entre essas quatro variáveis. Cada fabricante realiza seus testes relativos à frequência e amplitude para encontrar a melhor combinação entre elas”, explicou.Dynapac_CA2800D_ac0052963_456

Para obter uma maior produtividade, segundo Santos, é preciso estar atento aos detalhes. “Se eu estiver trabalhando em um solo composto por argila, preciso selecionar adequadamente o equipamento porque isso vai influenciar na produtividade”, ressaltou. Além disso, em sua apresentação, destacou três ferramentas tecnológicas que auxiliam esse quesito, incluindo os sistemas de telemetria.

 

Bomag Marini e a compactação de resíduos sólidos

Rodrigo Pereira, gerente de Negócios e Produto da Bomag Marini, fez uma análise sobre as tecnologias dos compactadores e suas aplicações, como a compactação eficiente em rolos tamping que tem como características o efeito tipo amassamento e a cobertura completa da superfície, sendo ideal para grandes áreas e construção de barragens.

Pereira trouxe dados, conceitos e objetivos da compactação de resíduos sólidos, que incluem o aproveitamento dos espaços e redução de desmoronamentos, do risco de incêndio, das pragas e da dispersão de lixo no ambiente com a ação do vento. “As principais influências na compactação de resíduos são peso operacional, projeto das rodas, tipo e condição do resíduo e técnica operacional”, informou. Há ainda outros parâmetros a serem observados, como o tipo de aterro sanitário, as condições climáticas e as técnicas de aplicação.

O especialista lembra que o compactador de resíduos é o equipamento ideal para uso em aterros sanitários porque alcança um bom resultado na compactação se comparado ao trator de esteiras. “A pressão específica no solo pelo trator é muito baixa, de cerca de 7 N/cm², tendo um efeito de compactação pequeno.images (3)

Já o compactador tem uma pressão de aproximadamente 240 N/cm², com resultados positivos também na  trituração de resíduos, na capacidade de penetração e no efeito de amasssamento”, explanou. No entanto, ele observa que há aplicações em que o uso de compactadores não é recomenadada, como em operação tipo tombamento, porque existe uma baixa densidade de resíduos.

 

 

XCMG Brasil e melhoria de qualidade em rodovias

Luiz Barreto, gerente de desenvolvimento de negócios para América Latina da XCMG Brasil, alertou sobre a importância de uma boa compactação, por meio da seleção ideal do equipamento, de acordo com as especificações do projeto, para melhorar a qualidade das rodovias brasileiras e reduzir o número de acidentes advindos por problemas com a compactação no solo. “Dados de mercado mostram que cerca de 16% dos acidentes em rodovias são decorrentes de uma má compactação”, acrescentou.

Crédito: Armac
Crédito: Armac

Barreto também expôs as características de rolos compactadores e introduziu conceitos de sistemas de telemetria, que trazem benefícios como identificação de falhas e apresentação de soluções, avisos de revisões, gerenciamento do motor, dados do equipamento, históricos de trabalho, além de comunicação entre o fabricante, o usuário e o operador.

 Ainda trouxe informações sobre sistemas inteligentes de suporte ao usuário do equipamento, que possibilita apresentar um roteiro de compactação, com os locais que já foram concluídos e as necessidades de trabalho, e emitir um relatório de performance de compactação, com informações sobre número de passadas, velocidade de operação e horas trabalhadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *