Reservatório de concessionária goiana vira arte

Redação – 19.07.2021 – Intervenção artística foi feita por quatro artistas do estado em uma das instalações da Saneago na capital

Água é vida e também arte em Goiânia. Com patrocínio da Opus Incorporadora, quatro artistas criaram painéis que juntos somam cerca de 300m² de área no reservatório da Companhia Saneamento de Goiás (Saneago). A iniciativa fica no Setor Serrinha, ao lado do Opus Tellure, empreendimento já lançado pela Incorporadora e que fará parte da Reserva Ybiti. Os quatro artistas responsáveis pela intervenção são Cássia Jurupia, Diogo Rustoff, Tchella Queiroga e Wes Gama, todos goianos. A curadoria e produção foi da Valenta Produtora de Arte Urbana.

Quem passar pelo local, poderá conferir a obra “Mulheres”, assinada por Cássia Jurupia, “Artista Operário”, assinada por Diogo Rustoff, “Riquezas”, assinada por Tchella Queiroga e “A Colheita da banana”, assinada por Wes Gama. Patrocinadas pela Opus, as obras remetem à arte urbana, um dos movimentos da arte contemporânea que mais cresceu nos últimos anos.

O uso de infraestrutura para hospedar arte e cultura não é novidade na Saneago. A companhia tem, inclusive, um histórico de destaque: há 33 anos ela destinou outros reservatórios – esses inativos – para a criação do Centro Cultural Martim Cererê, também em Goiânia. O espaço é um dos principais pontos de encontro da cena alternativa de Goiânia, sendo palco de shows, festivais, feiras, encontros e diversos eventos durante o ano segundo a concessionária.

O Centro existe hoje onde operavam os antigos Reservatórios Paineiras, que faziam parte do primeiro sistema de abastecimento de água de Goiânia e recebiam água do Córrego Areião. No local, havia também um filtro de areia para o tratamento antes de distribuir a água que abastecia toda a região central da cidade. Os reservatórios deixaram de ser usados depois da construção da Estação de Tratamento de Água Jaime Câmara, em 1957. Com essa obra foram implantados outros centros de reservação e estações elevatórias, o que levou à desativação dos dois reservatórios no Setor Sul, na década de 60.

Os Reservatórios Paineiras possuíam capacidade para guardar um volume de 1.015 metros cúbicos, cada um. Ambos tinham 4 metros de altura útil e 18 metros de diâmetro. Hoje, abrigam os teatros Yguá e Pyguá, com capacidade pra 250 e 300 pessoas, respectivamente. Nas “grandes piscinas” que compunham o filtro, foi construído um teatro de arena, o Ytakuá, com arquibancadas e espaço para 500 pessoas. Entre as mangueiras, construíram o bar Karuá, destinado a apresentações culturais, como lançamento de livros, palestras e reuniões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *