Rio Alto contrata Huawei para ativação de usinas solares no Brasil

Redação – 21.09.2020 –

Empresa brasileira tem projetos em carteira que somam R$ 1,5 bilhão em parques solares. Tecnologia da Huawei envolve Inteligência Artificial aplicada a usinas solares 

A multinacional chinesa foi escolhida para a ativação de um total de 156 MW de geração de energia solar na Paraíba. O projeto da Rio Alto Energias Renováveis tem capacidade total de 426 MW e faz parte de uma carteira de R$ 1,5 bilhão que a empresa pretende investir no país nesse tipo de empreendimento. O projeto combina uma série de implantações solares já contratadas por meio do mercado livre de energia.

A Huawei será a provedora de tecnologia em Inteligência Artificial, na geração de 156 MW, referente a 5 das usinas do Complexo: Corema IV, V, VI, VII e VIII. A solução FusionSolar 6.0+ da Huawei irá possibilitar uma redução do Custo Nivelado de Energia (LCOE) em mais de 5%, o que resulta em maior valor para a Rio Alto.

“A partir dessa parceria estamos dando mais um grande e importante passo na construção de uma sólida plataforma digital para a indústria solar brasileira. Estamos comprometidos em levar a digitalização a todas as usinas fotovoltaicas e empresas de energia renovável. E vamos colaborar com a Rio Alto, que almeja estar na vanguarda da era inteligente”, destaca o CEO da Huawei Brasil, Sun Baocheng.

A busca por tecnologias de última geração que assegurassem condições para uma alta confiabilidade, segurança e eficiência do seu sistema fotovoltaico, fez com que a Rio Alto Energia optasse por investir em novas tecnologias baseadas em inteligência artificial, na utilização de inversores string da Huawei. “Fomos até a China e analisamos juntos a tecnologia e os custos para serem aplicados ao mercado brasileiro. Ficamos impressionados com os investimentos da Huawei em P&D dedicados ao setor e que faz todo sentido para nós”, afirma Rafael Brandão, fundador da Rio Alto Energias Renováveis.

A solução da Huawei é totalmente digitalizada e patenteada, capaz de fornecer rendimentos até 2% maiores, O&M (Operação e Manutenção) mais inteligente que, por sua vez, reduz o LCOE (Custo Nivelado de Energia – em mais de 5%) se comparada a outras soluções tradicionais. “Priorizamos sempre por implantar novas tecnologias em nossas plantas a fim de obter ganhos substanciais para a companhia e para o desenvolvimento do setor. A escolha pela Huawei foi motivada pela capacidade de desenvolvimento e inovação tecnológica do grupo, o que está conectado à cultura e experiência da nossa empresa”, complementa Brandão.

Os dados se tornaram um recurso primordial em toda operação industrial e as usinas fotovoltaicas em Coremas, na Paraíba, estarão equipadas e operando com o que há de mais avançado na indústria. Em todas as cinco usinas em construção, que totalizam 156MW– Coremas IV, V, VI, VII e VIII, a solução fotovoltaica inteligente Huawei FusionSolar 6.0+ consiste em: integração de design multi-MPPT, 760 unidades de inversores string inteligentes SUN2000 185KTL, 24 estações de transformador inteligente (STS), sistema avançado de rastreamento de ponto de máxima potência (MPPT), diagnóstico de curva I-V inteligente e o novo algoritmo de conexão com a rede de Inteligência Artificial (IA).

A solução está preparada ainda para receber a funcionalidade Smart DC System (SDS) que trará um salto ainda maior em tecnologia fotovoltaica, para maior eficiência e disponibilidade da usina de Coremas. O SDS utiliza um algoritmo de IA que realiza uma melhor integração de módulos bifaciais, trackers e inversores multi-MPPT. Na comparação com a solução tradicional, sem a contribuição dos sensores de cada string, a geração adicional por meio do SDS pode aumentar em até 1,3%.

Outro algoritmo instalado melhora a conexão à rede elétrica e foi desenvolvido com base em um enorme número de dados de condições de operação normais e anormais do sistema elétrico. A partir disso, a Huawei criou um modelo matemático que integra o algoritmo de remodelagem de impedância baseado em IA, que aumenta a taxa de penetração de fontes renováveis, permitindo assim que os inversores entreguem maior suporte e tragam muito mais estabilidade aos sistemas elétricos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *