Roteiro na Chicago subterrânea mostra planejamento urbano centenário

Redação – 18.03.2019 –

Um roteiro planejado pela agência de turismo Chicago Travel & Tours demonstra como Chicago é sustentável através de seus trajetos subterrâneos para a eficiência logística, edifícios verdes e grandes espaços ao ar livre, pensados desde 1909 pelo arquiteto Daniel Burnham.

“No alto dos edifícios, tetos verdes amenizam o calor do verão e contribuem para a melhoria da qualidade do ar. Por baixo das ruas, níveis subterrâneos movimentam a logística de serviços. Ao redor, mais de 570 parques, um rio de 251 quilômetros de extensão e o quinto maior lago do mundo. Esta é Chicago, cidade do meio-oeste americano, referência quando o assunto é planejamento urbano.

De acordo com a empresária Ediana Braham, fundadora da agência, muito do que se vê hoje na cidade faz parte de um plano visionário, de 1909, do arquiteto Daniel Burnham (1846-1912) que defendia o espaço público ao ar livre. O projeto já previa naquela época que no futuro o trânsito seria um dos grandes problemas da sociedade moderna. Com isso, foi idealizada uma logística com ruas em níveis subterrâneos por onde veículos que transportam carga pesada ou prestam serviços de coleta de lixo, entrega de produtos ou correspondências pudessem trafegar sem interferir no nível térreo. Uma espécie de rede de túneis interliga prédios e lojas do centro financeiro.

“No nosso tour percorremos esta parte para mostrar tudo o que acontece ali, já que muitas pessoas que chegam à cidade não têm a menor ideia que algumas das ruas que visitam, fazem compras ou se divertem em atrações estão sobre outra Chicago”, explica a empresária.
Mais uma premissa do plano arquitetônico foi o de priorizar o verde por meio da criação de parques. O objetivo era preencher toda a orla do lago Michigan como um cinturão verde para proporcionar ao morador um contato próximo de convívio com a natureza.

“Hoje 8,5% de Chicago é constituída por parques, são mais de 570 distribuídos pela cidade. Os brasileiros se surpreendem ao ver a quantidade de verde conectado com a movimentação e agitação da metrópole”, conta. “Todos os parques são gratuitos e oferecem diversas atividades esportivas como tênis, basquete, futebol, além de pistas para caminhar, correr e pedalar.”

Chicago também valoriza e incentiva a adesão aos tetos verdes. Segundo dados oficiais, são mais de sete milhões de metros quadrados destinados a este tipo de espaço. O próprio prédio da prefeitura tem sua laje coberta pela vegetação. A medida tem uma série de benefícios sustentáveis como, por exemplo: redução de temperatura interna, diminuição nos gastos de energia, retardo no escoamento da água de chuva, redução do barulho e nas emissões de carbono no ar.

Recentemente, uma comitiva do Fórum da Indústria da Construção de Santos e Região (Ficon), composta por construtores, empresários e políticos da Baixada Santista (litoral paulista), esteve na cidade e realizou um roteiro de imersão, onde constatou de perto as soluções urbanísticas adotadas pela metrópole americana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *