Santos Brasil apresenta lucro líquido de R$ 60,4 milhões no segundo trimestre

Redação – 13.08.2021 – Movimentação consolidada de contêineres registrou recorde para o período, totalizando 337 mil unidades 

A Santos Brasil, que opera os terminais portuários de Santos (SP), Imbituba (SC) e Vila do Conde (PA), registrou lucro líquido de R$ 60,4 milhões em seu segundo trimestre de 2021. O número foi o suficiente para reverter o prejuízo líquido de R$ 9,4 milhões do mesmo trimestre de 2020. A empresa ainda apresentou recorde na movimentação consolidada de contêineres para o período, com 337 mil unidades movimentadas. O crescimento foi de 31,3% no ano a ano. 

A receita líquida subiu consideravelmente, 68,8%, alcançando R$ 379,5 milhões, impulsionada pelo crescimento no volume e pela elevação do ticket médio no Tecon Santos. A Santos Brasil também alcançou o maior patamar EBITDA desde 2013, totalizando R$ 147,7 milhões, crescimento de 250% frente ao segundo trimestre de 2020, com margem EBITDA de 38,9%. 

O desempenho da Companhia foi beneficiado pelo elevado fluxo de contêineres nos portos brasileiros, em especial no Porto de Santos, cuja retomada já havia se intensificado no último trimestre de 2020. O crescimento dos volumes de exportação e de importação, em função da recuperação do comércio global estimulada pelo avanço da vacinação contra a covid-19, também impactaram positivamente. 

No consolidado dos três terminais da Santos Brasil, o crescimento no fluxo de longo curso no trimestre foi de 56,9% no ano a ano, com participação de 83,7% do total movimentado. O mix de contêineres cheios teve importante melhora, representando 78,4% do total movimentado. O volume total armazenado nos terminais somou 41,6 mil contêineres no segundo trimestre, alta de 49%, fruto do expressivo crescimento do volume de contêineres cheios de importação no Tecon Santos. 

Crescimento por terminais

O Tecon Santos movimentou 296 mil contêineres no segundo trimestre de 2021, crescimento de 34,4% frente ao 2T20). Foi o maior volume trimestral movimentado desde o 2013, superando o crescimento do Porto de Santos no mesmo período que ficou em 15%. Ao longo do trimestre, o terminal operou 23 escalas extras, seja pelo aquecimento da demanda, seja pela restrição operacional observada em terminais concorrentes. A participação de mercado do Tecon no Porto de Santos subiu para 40,0% no período. 

No Tecon Vila do Conde, a movimentação foi de 28,9 mil contêineres, volume recorde para um segundo trimestre, o que representou crescimento de 13,1% no ano a ano, com aumento na movimentação de contêineres cheios (+12,2%) e vazios (+14,3%). 

O Tecon Imbituba movimentou 12,1 mil contêineres no período (+12,7%), fruto do crescimento de 13,5% no fluxo de cabotagem no terminal, com aumento expressivo no mix de contêineres cheios (+145,1% vs. 2T20). No TCG Imbituba, de carga geral, o volume movimentado somou 101.525 toneladas no 2T21 (+25,2%), com destaque para os embarques de celulose, commodities alimentícias e desembarques de equipamentos, por exemplo pás eólicas. 

Perspectivas para o resto de 2021

A Santos Brasil diz que as expectativas para o segundo semestre são boas. Segundo a empresa, seu crescimento é sustentável e está amparado no crescimento dos volumes operados e no mix de carga mais balanceado, com aumento do fluxo de importação aliado à resiliência das exportações. Além disso, há a recomposição dos preços praticados em função da reprecificação de diversos contratos. 

A companhia prevê movimentar entre 1,3 milhão e 1,4 milhão de contêineres no ano em seus três terminais, o que representa uma variação de 20% a 30% frente a 2020. Em resultado financeiro, a meta é atingir um EBITDA entre R$ 530 milhões e R$ 580 milhões – aumento de 150% a 174% sobre 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *