São Paulo viabiliza geração de energia por biomassa para abastecer até 600 mil habitantes ao ano

Da Redação – 26.08.2015 –

Início do teste com 10 usinas foi assinado hoje pela Secretaria Estadual de Energia e prevê a geração de 237 MW, o suficiente para abastecer anualmente uma cidade de 600 mil habitantes, como Ribeirão Preto.

A Secretaria Estadual de Energia de São Paulo acaba de lançar o programa São Paulo na Rede Elétrica, sob o qual ela pretende ampliar o fornecimento de energia para a rede elétrica pública, por meio de produção da queima da palha e do bagaço de cana-de-açúcar e do uso de outros insumos de biomassa, como cavaco de madeira.

Para isso, a Secretaria realizou um estudo mapeando as usinas existentes e identificando a sua produção, consumo e exportação de energia excedente para a rede elétrica.

Foram avaliadas 166 usinas, assinantes do protocolo Agroambiental, sendo que 34 delas estão localizadas no Nordeste do Estado, a uma distância de 100 km do município de Morro Agudo. Dez dessas usinas foram selecionadas para um projeto piloto, em conjunto com a CPFL, concessionária que distribui a energia na região. “Considerando o excedente de energia dessas 10 usinas, conseguiríamos aumentar o fornecimento para a rede em 237 MW, o suficiente para abastecer o consumo anual de uma cidade como Ribeirão Preto, com 600 mil habitantes”, diz João Carlos de Souza Meirelles, Secretário de Energia do Estado de São Paulo.

O programa foi direcionado a essa região devido à sua alta concentração de usinas sucroalcooleiras e também porque Morro Agudo está recebendo uma subestação nova de 500/138 kV da CPFL para reforço nas linhas de transmissão local e conexões que permitirão o escoamento da energia elétrica excedente das usinas de biomassa da região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *