Smart grid cresce em países emergentes

Redação – 14.05.2019 –

Avaliação é de estudo da norte-americana Northeast Group, que não cita o Brasil como um dos mercados mais ativos na área 

Um grupo de 50 países emergentes vão ativar 269 milhões de medidores inteligentes (AMI) até 2023. A projeção é do estudo Emerging Markets Smart Grid: Outlook 2019, Volume VIII, do Northeast Group. Em investimentos isso significaria 27,8 bilhões de dólares entre 2019-23. Além disso, outros 31 bilhões em investimentos adicionais complementariam o bolo principal, incluindo automação, armazenamento em baterias e a rede de distribuição.

O estudo identifica mercados de crescimento em regiões como América Latina, Oriente Médio, África Central, Europa Ocidental, e Sul e Sudeste da Ásia. Até o começo desse ano havia cerca de 54,7 milhões de medidores inteligentes ativados nos 50 países analisados, número que saltará para 323,6 milhões com o avanço da regulamentação e outros fatores impulsionadores.

A maioria da demanda por ativação de dispositivos inteligentes virá da China e da Índia. Mesmo sem a dupla, espera-se a ativação de pelo menos 109 milhões de dispositivos até 2023. Aplicações de larga escala estão previstas para o México e Malásia, além da alta expectativa em relação ao Egito e Arábia Saudita. Não há menção ao Brasil, nesse sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *