SP estima R$ 9 bilhões em concessões de rodovias

Da Redação – 27.08.2018 –

Cerca de 1 mil km de estradas estariam no processo, segundo governo estadual

Um novo lote de rodovias está em processo de ser colocado em negociação sob o formato de concessão. O pacote envolve o trecho atualmente em operação pela concessionária Centrovias, cujo contrato acaba em junho de 2019, e outros trechos administrados pelo DER paulista. Na avaliação oficial seriam mais de 1 mil km de estradas cujas investimentos poderiam gerar cerca de R$ 9 bilhões, dos quais 800 km fariam parte do escopo do DER.

O modelo da nova concessão inclui outros ganhos além da ampliação e recuperação do sistema rodoviário. Entre os benefícios estariam a redução de até 22% na tarifa quilométrica cobrada atualmente e desconto real de 5% no preço da tarifa para quem utilizar o pedágio automático (tag eletrônico). Mais interessante ainda é o pacote de modernização adotado nas últimas concessões.

Fariam parte das inovações a implantação de rede Wi-Fi  ao longo de todo o trecho concedido, possibilidade contratual de implantação do sistema Ponto a Ponto – o modelo de cobrança de tarifa por trecho percorrido, já implantado em quatro rodovias estaduais, e a tarifa flexível.

Obras nos trechos de concessão devem movimentar R$ 1,3 bilhão 

Parte das principais obras previstas está em trechos que atualmente são administrados pelo DER-SP e incluem a duplicação de cerca de 120 quilômetros da SP-294 entre Marília e Parapuã, implantação de barreira central e melhoria do acostamento em 100 quilômetros da mesma rodovia entre Parapuã e Paulicéia, duplicação de 95 quilômetros da SP-304 entre São Pedro e Jaú, além de 6 quilômetros de duplicação na SP-308, na região de Charqueada.

O trecho atualmente administrado pela Centrovias também terá novos investimentos, sendo que as principais intervenções ocorrem na SP-310 entre Cordeirópolis e São Carlos. Está previsto a implantação de aproximadamente 15 quilômetros de marginais em trechos urbanos da SP-310 e mais 75 quilômetros de faixas adicionais.

Os estudos preliminares projetam – em todos os trechos – cerca de 220 quilômetros de duplicação, 100 quilômetros de barreira central, 75 quilômetros de faixa adicional e 15 quilômetros de marginais. Somente com estas obras, estima-se R$ 1,3 bilhão em investimentos para sua realização.

Os investimentos de R$ 9 bilhões, além dessas obras de ampliação – importantes para melhorar a segurança nas rodovias, trazer mais conforto aos motoristas e segregar o tráfego local e rodoviário – contemplam também a restauração de toda a malha atualmente não concedida, instalação de novos equipamentos e outras intervenções pontuais.

Conforme aprovado pelo CDPED – Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização, a Artesp será responsável por conduzir os estudos da nova concessão que, oportunamente, contará com audiências e consultas públicas conforme prevê a legislação. Após conclusão dos estudos de viabilidade, será amplamente divulgado o calendário de audiências e que deve ocorrer ainda em 2018.

About the Author

Deixe uma resposta

*

Este post foi visto 396 vez(es).